Fortaleza Empreendedora: Diego Pereira conta sua trajetória no mercado educacional e como se reinventou para continuar empreendendo com sucesso durante a pandemia

No 15º episódio da websérie Fortaleza Empreendedora: histórias que inspiram, o professor de redação revela como investiu na sua vocação, criou sua própria metodologia de ensino, montou seu próprio curso e superou o que para ele é o principal desafio em 10 anos de carreira: a pandemia de coronavírus.


 

Professor Diego Pereira, em entrevista para a websérie “Fortaleza Empreendedora: histórias que inspiram”

Ludovica Duarte
luduarte@focus.jor.br

O desejo de empreender pode surgir ainda na infância, quando ouvimos aquela tão conhecida pergunta: “o que você vai ser quando crescer?”. Diego Pereira nunca teve dúvida da sua vocação e desde muito cedo sabia que seria professor. E mais: que encontraria na profissão de seus sonhos a oportunidade de empreender com sucesso, sendo reconhecido nacionalmente. Só não contava que seria surpreendido por uma pandemia e que, após 10 anos consolidado no mercado, teria que se reinventar para superar o desafio de encarar um mercado impactado por um cenário de incertezas.

Formado em Letras pela UECE, Diego Pereira, chegou a cursar a faculdade de Direto na UFC, mas logo viu que não seria possível conciliar os dois cursos e seguiu com o seu sonho de ser professor. Sonho este revelado ainda na juventude, quando era um dos poucos da sua turma da escola que tinham certeza da sua vocação. “Letras sempre foi meu grande sonho, minha grande missão. Quando me perguntavam, aos 15,16 anos, o que eu queria ser profissionalmente, eu dizia ‘professor de português, professor de redação’. Isso foi muito consolidado em mim de forma bastante precoce. Isso me tocava muito comovidamente, como ainda me toca”, revela o professor.

Diego iniciou os primeiros passos da carreira ainda no ensino médio, quando trabalhava como professor particular de redação, auxiliando os colegas de turma no reforço escolar. Bom aluno, Diego Pereira também mantinha uma relação próxima com os professores, buscando capturar experiências. “Buscava entender aquele tipo de atuação porque já enxergava ali a condição de trabalhar como professor. Quando me reconheci, quase sozinho, desejando ser professor, comecei a avaliar que este poderia ser um mercado promissor, pouco visado, com pouca possibilidade de saturação e com muita demanda”, explica.

Logo no início da faculdade, em 2002, o jovem estudante de Letras foi convidado a ministrar aulas para turmas do ensino médio em uma renomada escola de Fortaleza, onde se formou. “Eu ministrava aulas de português e redação e notei que a metodologia que eu empregava fazia com que muitas pessoas evoluíssem no seu processo de escrita e obtivessem bons resultados. Isso se tornou meio que personalizado. As pessoas associavam este bom desempenho às orientações que tinham aprendido comigo”, conta.

Deste reconhecimento, surgiu a vontade de criar seu próprio curso. “A partir de então, pensei que seria possível oferecer um serviço externo à atividade escolar, mais específico, que pudesse atender à necessidade dos alunos de escrever bons textos, em pouco tempo, para ter sucesso nos vestibulares”.

Em 2010, Diego abriu a primeira turma do seu Curso de Redação, com 35 alunos. Encontrou um mercado bastante concorrido e muito competitivo. O jovem professor encarou o primeiro desafio de buscar seu diferencial para disputar com as grandes escolas que já ofereciam uma carga de ensino complementar. “Uma dificuldade de empreender no âmbito do curso livre aqui em Fortaleza é que as cargas horárias das escolas já são razoavelmente satisfatórias para suprir a necessidade dos alunos. Então, o professor precisa realmente ter um algo a mais, ter um serviço individualizado para atender à expectativa do público”, explica Diego.

Em 10 anos, o Curso de Redação do Professor Diego Pereira já formou milhares de alunos. Mais de 4 mil obtiveram 900 ou mais pontos na redação do Enem. 34 deles conquistaram nota 1000, o que confere ao Curso o melhor resultado do Brasil em redação.

Ao completar uma década de negócio, já consolidado no mercado, o professor Diego Pereira não contava que seria surpreendido por uma pandemia que abalou todo o mundo. “Dificuldades a gente encontra em todos os anos, mas, em termos de desafio, o maior que enfrento neste intervalo de 10 anos é esta pandemia de Covid-19”. O professor conta como em 72 horas teve que se reinventar para continuar oferecendo um serviço com a mesma qualidade e eficiência, sem a possibilidade de continuar com as aulas presenciais.

“Em nenhuma hipótese eu cogitava, antes desta pandemia, de ingressar em um ambiente online, de ter um curso virtual. Estou acostumado a dar aulas em auditórios lotados e, no intervalo de 72 horas, eu tive que construir uma estrutura de gravação, criar uma plataforma para oferecer um conteúdo protegido e exclusivo para os nossos alunos e passar a interagir com as câmeras, imaginando que as pessoas estão em casa, acompanhando as minhas orientações e, principalmente, com o mesmo rendimento”, explica.

Apesar da experiência no universo virtual, professor Diego pretende retomar às aulas presenciais e já começa a planejar como será esta retomada segura. Atualmente, o Curso de Redação do Professor Diego Pereira conta com milhares de alunos e emprega cerca de 40 funcionários. Além do curso, professor Diego Pereira também publicou um livro didático que já está na 6ª edição, com milhares de exemplares vendidos.

Para ele, empreender dentro do contexto educacional está relacionado a uma experiência de vida, de observação das possibilidades que surgiram, de avaliação de como poderia transformar sua vocação em um serviço para atender à necessidade do mercado. “Sou um profissional das Letras, não tenho formação acadêmica no âmbito do empreendedorismo. Porém, isso não me impediu de empreender. As pessoas dizem ‘você é um empresário’. De fato, tenho um curso grande, presto um serviço a milhares de pessoas, mas eu nunca deixo de me caracterizar como professor; professor Diego Pereira”, conclui.

O projeto “Fortaleza Empreendedora: histórias que inspiram” é uma realização da Focus.TV, com a direção geral de Fábio Campos, produção e roteiro de Ludovica Duarte, filmagem e edição da ADJETIVA Vídeo Branding e apoio da Prefeitura de Fortaleza, Libercard e Grupo Marquise, com apoio cultural da Fundação Capistrano de Abreu e Assembleia Legislativa.

Leia Mais
+Assista ao primeiro episódio da websérie “Fortaleza Empreendedora: histórias que inspiram”
+Fortaleza Empreendedora: conheça a história de Severino Ramalho Neto que, de um momento desafiador, despertou para o empreendedorismo
+Severino Neto conta sua trajetória na estreia da série “Fortaleza Empreendedora”, nova produção do Focus.jor
+Fortaleza Empreendedora: conheça a inspiradora história de Ana Lúcia Mota na gestão da Cerbras
+Fortaleza Empreendedora: a inspiradora história do vendedor de pipocas que tem uma “rede” de carrinhos e é palestrante do Sebrae
+Na série Fortaleza Empreendedora, Crica Bezerra: do mercadinho de bairro ao Grupo Geppos
+Fortaleza Empreendedora: O empreendedor que transformou o seu hobby em uma lucrativa cervejaria
+O atendente que, em 10 anos, se tornou sócio proprietário de um restaurante do Outback
+Fortaleza Empreendedora: Jayme Leitão fala sobre empreender, projetando e apostando em novos conceitos
+Fortaleza Empreendedora: Maurício Filizola conta sua inspiradora história como empreendedor e líder sindical
+Fortaleza Empreendedora: conheça a inspiradora história de Assis Cavalcante na Óticas Visão
+A história de superação que criou a rede de sorveterias San Paolo
+Fortaleza Empreendedora: a advogada que abandonou uma promissora carreira para trabalhar com o que ama