Fortaleza Empreendedora: a advogada que abandonou uma promissora carreira para trabalhar com o que ama

Conheça a inspiradora história de Raquel Pedrosa que largou a rotina de concurseira para empreender em sua própria empresa, se especializando em cuidados de animais domésticos


 

Fortaleza Empreendedora trabalhar com o que ama
Raquel Pedrosa, proprietária da empresa especializada em cuidados de animais domésticos, em entrevista para o projeto “Fortaleza Empreendedora”.

 

 

Ludovica Duarte

luduarte@focus.jor.br

O sucesso de um empreendedor vai além da vontade de se realizar profissionalmente. A advogada Raquel Pedrosa, 11º personagem da websérie Fortaleza Empreendedora: histórias que inspiram, deixou uma promissora carreira de servidora pública para empreender, ser bem sucedida e trabalhar com o que ama. Raquel observou uma oportunidade de mercado e transformou sua paixão por animais em um negócio lucrativo, fundando a Raquel Pedrosa Pet Care, uma empresa especializada em cuidados de animais domésticos.

Formada em Direito, Raquel Pedrosa costumava dedicar todo seu tempo aos árduos estudos para concurso, buscando uma oportunidade na Polícia Federal. Em um dos intervalos de estudo, a advogada leu uma matéria sobre a profissão de pet sitter, as conhecidas “babá de animais”. Raquel, que sempre foi apaixonada pelos bichos de estimação e costumava cuidar dos pets de seus amigos de maneira informal, vislumbrou uma oportunidade de trabalhar com o que realmente ama.

“É um mercado bem rico no Sudeste. Então, fui para São Paulo fazer um curso de cuidador de animais para conhecer melhor a profissão. Quando retornei de viagem disse: ‘é exatamente isso que eu quero’. E já que eu tinha decido fazer isso, fui me especializar”.

No retorno, Raquel tirou a ideia do papel e fundou a empresa, se dedicando a todos os processos, desde a criação da marca e do fardamento, até a divulgação dos serviços em clínicas e petshops.

Porém, o mercado em Fortaleza se mostrou mais desafiador do que Raquel esperava encontrar. “A profissão de pet sitter é ir nas casas das pessoas para cuidar de seus bichinhos de estimação quando viajam ou precisam se ausentar. Só que aqui eu encontrei uma dificuldade. As pessoas não se sentiam seguras em deixar a babá de cachorros sozinha em suas casas”.

Contudo, a empresa idealizada por Raquel ia além do atendimento de pet sitter. Sozinha, ela fazia taxi pet (levando os animais para veterinários, petshops, etc), dog walker (passeios com cachorros) e hospedava os animais em sua própria casa. “Morava em um apartamento e aos fins de semana eu levava dois ou três hóspedes no máximo, porque eu já tinha dois filhos de quatro patas”.

A procura por hospedagem foi aumentando e a estrutura do apartamento já não era suficiente para atender os novos clientes. “A demanda começou a crescer bastante. Foi quando procurei meus pais que moravam na casa onde, atualmente, é o hotel e tudo começou. Fiz toda a reforma. Não tinha dinheiro. Meus pais me emprestaram capital para começar e, assim, fiz toda uma reestruturação para receber os hóspedes com mais qualidade”, conta.

Desde o início, Raquel buscou formalizar o negócio. “O MEI me abriu um leque de opções, pois sai da informalidade e pude contratar pessoas para enriquecer o trabalho aqui no hotel. Hoje ofereço mais serviços do que produtos, mas isso não impede que eu venha no futuro oferecer produtos também, abrir uma loja e agregar mais ao hotel”, revela.

Raquel explica que trabalhar com o que se ama é essencial e revela o que é necessário para empreender neste ramo. “Trabalhar com o que se gosta, eu costumo dizer que não é trabalho. E trabalhar com animais é uma satisfação imensurável; é um aprendizado constante. Pra empreender neste ramo não basta só querer. É preciso gostar mesmo, pois exige muita dedicação, profissionalismo, precisa estudar bastante para entender tudo sobre o mundo pet”. E conclui. “Empreender neste ramo é maravilhoso, é um retorno muito bom”.

Pelo menos uma vez por ano, Raquel viaja para buscar capacitações em centros especializados. Atualmente, a empresa emprega uma funcionária e dois ajudantes temporários para auxiliar nos períodos de alta estação. Fatura em média R$ 6,5 mil por mês.

O projeto “Fortaleza Empreendedora: histórias que inspiram” é uma realização da Focus.TV, com a direção geral de Fábio Campos, produção e roteiro de Ludovica Duarte, filmagem e edição da ADJETIVA Vídeo Branding e apoio da Prefeitura de Fortaleza, Libercard e Grupo Marquise, com apoio cultural da Fundação Capistrano de Abreu.

Leia Mais
+Assista ao primeiro episódio da websérie “Fortaleza Empreendedora: histórias que inspiram”
+Fortaleza Empreendedora: conheça a história de Severino Ramalho Neto que, de um momento desafiador, despertou para o empreendedorismo
+Severino Neto conta sua trajetória na estreia da série “Fortaleza Empreendedora”, nova produção do Focus.jor
+Fortaleza Empreendedora: conheça a inspiradora história de Ana Lúcia Mota na gestão da Cerbras
+Fortaleza Empreendedora: a inspiradora história do vendedor de pipocas que tem uma “rede” de carrinhos e é palestrante do Sebrae
+Na série Fortaleza Empreendedora, Crica Bezerra: do mercadinho de bairro ao Grupo Geppos
+Fortaleza Empreendedora: O empreendedor que transformou o seu hobby em uma lucrativa cervejaria
+O atendente que, em 10 anos, se tornou sócio proprietário de um restaurante do Outback
+Fortaleza Empreendedora: Jayme Leitão fala sobre empreender, projetando e apostando em novos conceitos
+Fortaleza Empreendedora: Maurício Filizola conta sua inspiradora história como empreendedor e líder sindical
+Fortaleza Empreendedora: conheça a inspiradora história de Assis Cavalcante na Óticas Visão
+A história de superação que criou a rede de sorveterias San Paolo