Fortaleza Empreendedora: conheça a inspiradora história de Assis Cavalcante na Óticas Visão

No nono episódio da websérie "Fortaleza Empreendedora: histórias que inspiram", o empresário revela como, ainda na adolescência, se tornou um empreendedor e contou o apoio incondicional da família para superar crises e tornar as Óticas Visão uma rede de sucesso. Esta trajetória de empreendedorismo foi reconhecida pelo mercado e, atualmente, Assis Cavalcante se divide entre a empresa e o cargo de presidente da CDL Fortaleza


 

Assis Cavalcante em entrevista para a websérie Fortaleza Empreendedora
Assis Cavalcante em entrevista para a websérie “Fortaleza Empreendedora”

Ludovica Duarte
luduarte@focus.jor.br

Na trajetória de cada empreendedor encontramos muitos desafios e histórias de superação. Por muitas vezes, é preciso contar com ajuda de alguém que invista em seu sonho e una forças para construírem juntos. Assim é a história de empreendedorismo de Assis Cavalcante, que encontrou na família o alicerce que faltava para concretizar seu objetivo de um negócio próprio e empreender com sucesso nas Óticas Visão.

A história de empreendedorismo de Assis Cavalcante começa ainda muito jovem, da necessidade de ajudar os pais com o sustento da casa. Ele lembra que em um dia de Natal, vendo que a família não teria condições de fazer uma ceia para confraternizar, saiu pelas ruas do bairro Montese com um barquinho de isopor nas mãos a procura de quem comprasse. “Na época, eu tinha uns 9, 10 anos mais ou menos e pensei em vender o barquinho pra ver se conseguia dinheiro pra gente fazer a ceia de Natal”. Após percorrer algumas ruas sem sucesso, lembrou de oferecer seu produto ao Sr. Sales, um vizinho muito amigo de seu pai.

O senhor, conhecedor das necessidades da família, comprou o barquinho de Assis e, assim, garantiu que tivessem uma excelente ceia de Natal. “Ele não comprou o barquinho, ele quis exatamente atender a necessidade da minha família. E este homem é hoje meu sogro”, revela. Sr. Sales foi peça fundamental para no início da trajetória de Assis como empreendedor.

No início da década de 70, Assis era vendedor na Ótica Brasil, mas estava insatisfeito com sua situação financeira. “Um dia, a caminho do colégio, comecei a me lamentar: poxa vida, como é que eu já tenho quase 17 anos e estou numa miséria de vida, sou apenas um vendedorzinho de uma loja. Como vou conseguir sustentar minha família, educar meus futuros filhos”, questionou Assis. Para ele, aquele foi um momento muito próximo de Deus e o impulso que faltava para dar uma guinada na vida. “Ali eu percebi que não tinha condições de sobreviver como profissional liberal através do conhecimento científico, porque eu não tinha a base de estudo suficiente para enfrentar o mercado desta forma. Eu tinha mesmo era que empreender”, lembra.

Assis confessou sua frustração à namorada Edna, que compartilhou a situação com seu pai, o Sr. Sales. Assim como investiu no barquinho do garoto, o senhor reconheceu os esforços do namorado da filha e propôs uma sociedade para abrir um negócio próprio. Juntos passaram a percorrer o interior do Ceará vendendo óculos e, em 1974, inauguraram a primeira loja da Óticas Visão.

Um ano depois, Sr. Sales propôs sair da sociedade. “Ele me chamou pra conversar e disse: Assis eu não aguento seu pique. Eu tinha 17 anos e ele quase 60”, lembra. O jovem então propôs uma troca inusitada ao sogro, pedindo a mão de Edna em casamento. Assim, iniciava uma nova história das Óticas Visão, com Edna e Assis na administração da empresa.

Juntos enfrentaram os desafios de empreender. “Abrimos uma loja, uma segunda, um terceira, aí vinha uma crise, fechávamos e voltava para a segunda. Chegamos a ter quatro lojas. Aí, não dava certo, fechava e voltava para a terceira”. Assis lembra que era difícil administrar as lojas porque viajava muito e, a partir de 1988, passou a investir também na carreira de advogado.

O empresário lembra que em 2004 enfrentaram a maior crise da empresa. Na época, além de Edna, os dois filhos mais velhos também trabalhavam na administração dos negócios. “Passamos por uma dificuldade financeira muito grande como se, por exemplo, tivéssemos R$ 700 mil de capital e devêssemos R$ 2 milhões”. A solução foi unir a família para enfrentar a crise e salvar a empresa. Assis propôs que cada um fosse para dentro de uma loja e solucionassem os pontos negativos, melhorando as compras, negociando com fornecedores e destinando um percentual do lucro para pagar o débito remanescente.

Em 2007 superaram a crise e iniciaram os planos de expansão da rede de óticas, com laboratório próprio. Cada um dos quatro foi investindo em novas lojas e rapidamente chegaram a mais de 20 lojas. “Entre 2012 e 2014 abrimos umas 10 lojas mais ou menos. Chegamos ao ponto de cada um abrir uma loja por mês, lojas de grande potencial”, recorda Assis. Atualmente, as Óticas Visão contam com cerca de 200 colaboradores, 24 lojas na capital e no interior do Ceará e um laboratório ótico.

O sucesso da família Cavalcante a frente dos negócios da rede Óticas Visão rendeu visibilidade para o trabalho do patriarca. Em 2014, Assis foi convidado por Pio Rodrigues Neto a coordenar a realização do Natal de Luz, evento promovido pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Fortaleza, que mobiliza o centro da cidade em torno de uma das melhores datas para o comércio. Em decorrência do trabalho com o Natal de Luz, Assis recebeu o convite para a presidência da CDL Fortaleza, assumindo a gestão 2018-2020. “Entendo que tudo que recebi, que Deus me proporcionou, que o mundo me proporcionou, tenho que devolver. E eu devolvo na CDL, buscando dar o meu melhor e servindo de referência para novos empreendedores”, declara.

Assis acredita que o conhecimento é transformador e além de presidente da CDL, senti-se honrado em ser diretor da Faculdade CDL. Para ele, a instituição de ensino é fundamental para entregar ao pequeno empresário a base de conhecimento necessária para empreender com sucesso. “A gente aqui na CDL tem o objetivo de tornar a vida do lojista mais fácil. Como diretor da Faculdade me sinto como mola propulsora do pequeno empresário, transmitindo a informação e o conhecimento científico que eu queria ter para aplicar no meu negócio, mas eu não tive”, revela.

Para os novos empreendedores, Assis Cavalcante deixa duas lições: “primeiro, separar o que é capital da empresa e o que é seu. E depois, seja persistente. Você resolveu que quer ser empresário e que seu segmento é aquele, pode ir em frente, que Deus já lhe avisou e você chegará lá. Agora tem que acreditar. Acreditar na sua capacidade, no seu discernimento empreendedor. E ter uma família organizada, porque é a família que te dá sustentação, que te dá um apoio para você crescer”, conclui.

O projeto “Fortaleza Empreendedora: histórias que inspiram” é uma realização da Focus.TV, com a direção geral de Fábio Campos, produção e roteiro de Ludovica Duarte, filmagem e edição da ADJETIVA Vídeo Branding e apoio da Prefeitura de Fortaleza, Libercard e Grupo Marquise, com apoio cultural da Fundação Capistrano de Abreu. Foto de arquivo: Davi Farias.

Leia mais
+Assista ao primeiro episódio da websérie “Fortaleza Empreendedora: histórias que inspiram”
+Fortaleza Empreendedora: conheça a história de Severino Ramalho Neto que, de um momento desafiador, despertou para o empreendedorismo
+Severino Neto conta sua trajetória na estreia da série “Fortaleza Empreendedora”, nova produção do Focus.jor
+Fortaleza Empreendedora: conheça a inspiradora história de Ana Lúcia Mota na gestão da Cerbras
+Fortaleza Empreendedora: a inspiradora história do vendedor de pipocas que tem uma “rede” de carrinhos e é palestrante do Sebrae
+Na série Fortaleza Empreendedora, Crica Bezerra: do mercadinho de bairro ao Grupo Geppos
+Fortaleza Empreendedora: O empreendedor que transformou o seu hobby em uma lucrativa cervejaria
+O atendente que, em 10 anos, se tornou sócio proprietário de um restaurante do Outback
+Fortaleza Empreendedora: Jayme Leitão fala sobre empreender, projetando e apostando em novos conceitos
+Fortaleza Empreendedora: Maurício Filizola conta sua inspiradora história como empreendedor e líder sindical