Exclusiva: PSL destitui André Fernandes da presidência da sigla em Fortaleza

Em poucos dias, é a 3ª polêmica envolvendo o deputado estadual. Na semana passada, o parlamentar assinou parecer favorável ao título de cidadania para o líder nacional do MST.


André Fernandes. Foto: Divulgação Facebook

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

Exclusiva: o diretório estadual do PSL dissolveu o comando provisório do partido em Fortaleza, que era comandado pelo deputado estadual André Fernandes. O Focus apurou que a decisão partiu do deputado federal Heitor Freire, presidente estadual da sigla também em caráter provisório. A mudança ocorreu na quarta-feira, 12, e hoje, 13, já aparecia no site da Justiça Eleitoral. Veja abaixo.

Nos bastidores, avalia-se que o comando estadual não gosta da atitude do deputado. Em poucos dias, André Fernandes se envolveu em polêmicas e decisões que não são do agrado do Partido. Na semana passada, o parlamentar deu parecer favorável, com reverência, ao título de cidadania cearense, proposto pelo petista Elmano de Freitas, ao líder do MST, João Pedro Stedile.

Na mais recente polêmica, Fernandes ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa para afirmar que “diariamente  chegam pessoas em meu gabinete denunciado que próprios deputados da Casa são envolvidos com facções criminosas”. E continuou: “Qual moral deputado envolvido com facção… para falar sobre segurança pública?”.

Na prática, ao não citar nomes, Fernandes lançou suspeita sobre 45 deputados estaduais. Foi esse o motivo que levou o PSDB a representar contra o deputado na Assembleia. O movimento dos tucanos pode levar a uma investigação no âmbito do Conselho de Ética da Casa e a uma punição por “quebra do decoro”.

Veja abaixo o recorte do documento da Justiça Eleitoral certificando que “este órgão partidário encontra-se com prazo de validade expirado”. Atentem que a presidência de André Fernandes no PSL de Fortaleza durou menos de três meses.

Leia Mais
+ Movimentos assinam manifesto contra cidadania cearense para líder do MST
+ Sobre deputados de facção, Fernandes pergunta: “É crime falar a verdade?”
+ PSDB quer apurar fala de André Fernandes que disse haver deputado de facção criminosa
+ A regra é clara: já na CCJ o deputado pode dizer não ao título de cidadania
Da cordialidade à afronta: títulos de cidadania passam a ser elementos de discórdia e explicações
“Já falei o que vagabundo do MST merece: é tiro mesmo”, dispara André Fernandes
João Pedro Stédile, do MST, receberá título de Cidadão Cearense na Assembleia