PSDB quer apurar fala de André Fernandes que disse haver deputado de facção criminosa


Edvaldo Araújo
edvaldo@focus.jor.br

Depois de ter que explicar aos correligionários como resolveu propor a aprovação do título de cidadão cearense para João Stédile, líder do MST, o deputado André Fernandes (PSL) resolveu promover uma reviravolta que permitesse recompor um pouco sua imagem. Na última quarta-feira, quase ao fim da sessão e com o Plenário quase vazio, subiu à Tribunal da Assembleia Legislativa e, aos gritos, afirmou que vinha recebendo denúncias que entre seus pares havia deputados ligados à facções criminosas. Desta forma mesmo, sem citar nomes ou circunstâncias. E pior, sem repassar a quem deveria investigar qualquer uma das “denúncias”.

Resultado: pelo menos dois partidos analisam entrar com representação contra o deputado no Comitê de Ética; e o PSDB anunciou oficialmente, através de nota, na tarde desta quinta-feira, 13, que irá representar contra o deputado.

Veja a nota do PSDB:

Diante da gravidade das acusações feitas pelo deputado André Fernandes (PSL), de que a Assembleia Legislativa do Ceará teria parlamentares envolvidos com facções criminosas, os dois representantes da bancada do PSDB na Casa – deputados Nelinho e Fernanda Pessoa – com apoio da executiva estadual do partido vão oficializar à Mesa Diretora para que instaure procedimento de apuração da denúncia e acione o Conselho de Ética para, caso necessário, adote as medidas cabíveis – seja em caso de constatação de desvio de conduta ética e moral por parte de possíveis envolvidos com o crime organizado ou por leviandade e quebra do decoro parlamentar, em caso de improcedência da fala do parlamentar.
A imunidade é uma prerrogativa dada aos parlamentares para o bom exercício de suas funções e atribuições enquanto representantes políticos da população, mas que não permite ataques levianos e arbitrários que, no caso em questão, atinge não apenas a imagem de parlamentares mas do próprio Poder Legislativo. 
Ao generalizar suas acusações, sem aprofundamento e provas necessárias, o deputado André Fernandes põe todo o Legislativo Estadual no patamar mais baixo da política suja e inconsequente, atingindo de forma grosseira todo o Parlamento e seus integrantes. 
A Executiva do PSDB também considera necessário que  o Ministério Público Estadual seja provocado para apurar as consequências de possíveis relações promíscuas de representantes do Parlamento Estadual com facções criminosas. São implicações que não podem cair no acaso do esquecimento nem servir de estímulo a ataques futuros ao próprio poder constituído.
Luiz Pontes
Presidente do PSDB Ceará