Camilo endurece e não prevê anistia para policiais: “Não podemos ceder”

"Todos estão sendo identificados e serão punidos com o rigor da lei. Estamos firmes. Não podemos ceder. Vamos dialogar com quem? Com bandido não dá", disparou o governador


Governador Camilo Santana fala à Assembleia Legislativa do Ceará. Foto: Reprodução

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

O governador Camilo Santana endureceu o tom contra as manifestações e paralisações de policiais militares no Estado. Segundo ele, a anistia é um erro e um grande prejuízo para o Brasil.

“Os governos sempre anistiam essa classe, o que é um erro. É um erro do país. Eles (policiais) fazem isso porque acham que depois não vai dar em nada. Mas a minha decisão é inegociável. Todos estão sendo identificados e serão punidos com o rigor da lei. Estamos firmes. Não podemos ceder. Vamos dialogar com quem? Com bandido não dá”, disparou o governador em entrevista ao jornalista Gerson Camarotti.

Camilo também falou que não vai permitir intimidação. “Nossa resposta tem que ser com muito rigor. Nós não podemos permitir as atitudes ilegais, motins, depredação de patrimônio público. Não podemos permitir homens fardados tentando criar o terror da população”, ressaltou.

Contudo, falou novamente sobre a proposta aprovada. “Abri uma mesa de negociação. O acordo foi fechado, inclusive com deputados de oposição. Era uma grande conquista, pois foi dado aumento real mesmo num momento de crise econômica. Mas existe um fator político por trás disso. Quem lidera esse movimento são parlamentares e um ex-deputado. A minoria tem contrariado a lei. A grande maioria é de qualidade e não entrou nesse movimento”.

Leia Mais
+Governo afasta por 120 dias 168 PMs envolvidos em paralisações no Ceará
+Cid Gomes segue internado e inicia fisioterapia respiratória
+Senador se diz chocado: “Líderes do movimento são praças”
+2,5 mil soldados reforçam a segurança no Ceará