Senador se diz chocado: “Líderes do movimento são praças”

Os senadores Elmano Férrer e Major Olimpio vieram ao Ceará a convite de Eduardo Girão com o intuito de atuar como mediadores entre os policiais amotinados e o Governo do Estado


Senador Elmano Férrer do Piauí. (Reprodução)

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

O senador Elmano Férrer (Podemos-PI) afirmou, hoje, 21, após encontrar-se com policiais militares amotinados no Ceará, que a situação é  de esfacelamento da segurança pública no Estado.

“(Vi) uma fila de carros abandonados, pneus vazios, militares encapuzados, tomando cerveja, e adentramos a instituição. O que me chocou é que os líderes do movimento são praças expulsos da corporação. Estamos diante de um esfacelamento”, disse o senador do Piauí, cearense de nascimento.

A declaração foi em coletiva conjunta com os senadores Major Olimpio (PSL-SP) e Eduardo Girão (Podemos-CE) que se propuseram a atuar como mediadores entre o Governo e os policiais militares amotinados.

Os senadores estarão se encontrando com o general Fernando Cunha Mattos, comandante da 10ª Região Militar de Fortaleza, nesta tarde. Pela manhã, Cunha Mattos recebeu o secretário da Segurança André Costa e comandantes vinculados para traçar o plano de atuação das Forças Armadas.

O senador Major Olimpio chegou a classificar os policiais militares que paralisaram suas atividades como “legião de jovenzinhos inexperientes que não sabem que vão se arrebentar, perder a função pública e condenados como criminosos militares”.

“(Eles foram) influenciados por policias que têm experiência. Alguns que alcançaram mandato legislativo, alcançaram em tese seus benefícios e aposentadoria, e vão tentar ainda usar a salvaguarda da condição legislativa pra o fazer”, disse o senador paulista. “É extremamente perigoso esse tipo de coisa”.