Bolsonarista cearense procurado é suspenso do Sindicato de Jornalistas

Natural de Sobral, Wellington ficou conhecido por denunciar os irmãos Cid e Ciro Gomes. Foi assessor da Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos entre fevereiro a outubro de 2019


Foto: Reprodução

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

O bolsonarista cearense Wellington Macedo de Souza, réu por ter participado de atentado ao Aeroporto de Brasília e que encontra-se foragido no momento, está oficialmente suspenso do quadro de associados do Sindicato dos/as Jornalistas Profissionais no Estado do Ceará (Sindjorce). A medida foi aprovada em assembleia geral.

Importante pontuar que o cearense, no último dia 10 de janeiro, se tornou alvo de uma ação penal por crime de explosão. Alan Diego dos Santos Rodrigues e Washington de Oliveira Sousa atuaram como seus cúmplices. 

Natural de Sobral, Wellington ficou conhecido por denunciar os irmãos Cid e Ciro Gomes. Foi assessor da Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos entre fevereiro a outubro de 2019.

Leia mais: 

+ Bolsonarista preso confirma que cearense foragido acompanhou a instalação da bomba em caminhão em Brasília

+ Cearense que tentou explodir bomba no aeroporto de Brasília segue foragido; dois já se entregaram

+ Cearense que tentou explodir aeroporto de Brasília foi assessor de Damares

+ Jornalista cearense procurado por atentado a bomba em Brasília teve cargo no governo Bolsonaro