Cearense que tentou explodir bomba no aeroporto de Brasília segue foragido; dois já se entregaram

Os réus responderão pelo crime de explosão, quando se expõe "a perigo a vida, a integridade física ou o patrimônio de outrem, mediante explosão, arremesso ou simples colocação de engenho de dinamite ou de substância de efeitos análogos"


Foto: Reprodução

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

Alan Diego dos Santos é o segundo suspeito de arquitetar um atentado com caminhão-bomba próximo ao Aeroporto Internacional de Brasília a se entregar. Segundo o Ministério de Justiça e Segurança Pública, o sujeito foi detido ontem, terça-feira, 17, em Mato Grosso. 

O terceiro envolvido, no caso, o cearense Wellington Macedo de Souza, segue foragido. Após a prisão de Alan, o interventor na segurança federal do DF, Ricardo Cappelli, escreveu nas redes sociais que “a lei será cumprida”.

Os réus responderão pelo crime de explosão, quando se expõe “a perigo a vida, a integridade física ou o patrimônio de outrem, mediante explosão, arremesso ou simples colocação de engenho de dinamite ou de substância de efeitos análogos”.

Leia mais:

+ Cearense que tentou explodir aeroporto de Brasília foi assessor de Damares

+ Jornalista cearense procurado por atentado a bomba em Brasília teve cargo no governo Bolsonaro