Bolsonaro anuncia suspensão da dívidas dos Estados do Nordeste e transferência R$ 8 bi para Saúde

Haverá também, por exemplo, a recomposição do Fundo de Participação dos Estados (FPE) e do Fundo de Participação dos Municípios em R$ 16 bilhões, suspensão da dívida dos Estados hoje calculada em R$ 12,6 bilhões, além de operações para facilitar créditos no valor de R$ 40 bilhões


O presidente Jair Bolsonaro posa para fotos e conversa com turistas no Palácio da Alvorada. Foto: José Cruz/Agência Brasil

Equipe Focus.Jor
focus@focus.jor.br

O presidente Jair Bolsonaro anunciou que irá suspender as dívidas dos Estados do Nordeste e transferir mais recursos para a saúde. As medidas foram discutidas em reunião com os governadores da Região na tarde de hoje, 23.

“União entrará com mais recursos que o solicitado. Governadores solicitaram R$ 4 bilhões para ações emergenciais em saúde. O Governo Federal está destinando R$ 8 bilhões em quatro meses”, ressaltou o presidente. 

Haverá também, por exemplo, a recomposição do Fundo de Participação dos Estados (FPE) e do Fundo de Participação dos Municípios em R$ 16 bilhões, suspensão da dívida dos Estados hoje calculada em R$ 12,6 bilhões, além de operações para facilitar créditos no valor de R$ 40 bilhões.

Atualmente o Ceará tem débitos com o BNDES, Banco do Brasil e Caixa Econômica.

Abaixo, as medidas emergenciais para socorrer o Nordeste

O Governo Federal responde com plano de R$ 88,2 bilhões para fortalecer Estados e Municípios, sendo este exposto abaixo:

. 1- Transferência para a saúde / R$8 bilhões, o dobro do previsto.
. 2- Recomposição FPE e FPM: R$16 bilhões (seguro para queda de arrecadação).
. 3- Orçamento Assistencial Social: R$ 2 bilhões.
. 4- Suspensão das dívidas dos Estados com a União: R$ 12,6 bilhões.
. 5- Renegociação com bancos: R$ 9,6 bilhões (dívidas de estados e municípios com bancos).
. 6- Operações com facilitação de créditos: R$40 bilhões.

A- Soluções temporárias para situação de emergência: 2 MPs vão transferir recursos para fundos de saúde estaduais e municipais.

B- União entrará com mais recursos que o solicitado. Governadores solicitaram R$ 4 bilhões para ações emergenciais em saúde. O Governo Federal está destinando R$ 8 bilhões em quatro meses.

C- Seguro para perda de arrecadação de transferência da União. Garantia de manutenção do FPE e FPM aos mesmos níveis de 2019. Estima-se que o Governo Federal acesse com R$ 16 bilhões em quatro meses.

D- Soluções permanentes para problemas estruturais. Aperfeiçoamento das reformas: PEC Emergencial do Pacto Federativo e Plano Mansueto estão sendo aprimorados e darão fôlego a Estados e Municípios para vencer a crise.

E- Governo Federal, Justiça, Congresso, Estados e Municípios juntos construirão uma saída estrutural federativa.

F- O Presidente da República assina autorização para empréstimo ao estado de Alagoas, ajudando no combate ao cironavirus. Medida segue ao Senado para aprovação em plenário.”

Leia Mais
+COVID-19: Ceará já registra 164 casos
+Governo edita nova MP; texto vai autorizar corte de 50% em salário e jornada de trabalho
+Presos de Fortaleza têm saída temporária suspensa por 90 dias
+Bolsonaro: governadores são “exterminadores de empregos”