Voos domésticos crescem em julho e chegam a 68% do nível pré-pandemia

Em junho, a aviação brasileira estava operando com 51% da capacidade registrada antes da crise, segundo a Abear.


Aeroporto de Fortaleza. Foto: Divulgação

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

O número de voos domésticos no Brasil avançou em julho e chegou a 68% do nível registrado no período pré-pandemia, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear). Em junho, a aviação doméstica estava operando com 51% do número de voos registrados antes da crise. O resultado aponta para uma recuperação do setor.

O crescimento já vinha sendo registrado desde abril deste ano, quando o número de voos estava em cerca de 36% da média anterior à pandemia. E o avanço acabou sendo mais acentuado no mês de julho, superando as expectativas da Abear.

“Os outros fatores que contribuíram também são consequência da vacinação. Por exemplo, as pessoas que estão retomando viagens de lazer porque têm férias escolares também têm o impulso da vacina”, disse o presidente da Abear, Eduardo Sanovicz, em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo.

De acordo Sanovicz, no entanto, a tendência é de que, mesmo após a crise, os voos voltados para o mercado corporativo apresentem mudanças devido ao trabalho remoto. “A pessoa que pegava um avião para fazer uma viagem de quatro horas e voltar, agora, aprendeu a fazer isso por vídeo”, disse Sanovicz ao jornal. “Acredito que isso não volta, mas deve ser substituído por esse novo público que pode viajar meio home office. Com uma curiosidade interessante: esse público não vai ser sazonal”.