Vem aí a super semana de pesquisas em Fortaleza: Instituto Paraná, Ibope, IBPI e Datafolha

Focus mostra o que cada pesquisa quer saber, quantos eleitores cada uma vai abordar e quando os resultados serão divulgados. Mostra as diferenças entre os questionários, quem contratou e quanto custa o trabalho dos institutos.


Começa amanhã (segunda-feira, 12) a super semana das pesquisas que vão fazer uma radiografia das intenções de voto em Fortaleza. Vamos a elas:

1 Com 740 entrevistados, a primeira pesquisa é da lavra do Instituto Paraná. Trata-se de uma consulta por telefone que começou dia 9 e termina neste domingo, 11. Os resultados serão divulgados amanhã. Portanto, os pesquisadores pegaram apenas o começo da campanha no rádio e na TV. Vai ser uma ótima medida comparativa com as pesquisas seguintes que vão abordar eleitores já mais expostos à campanha de rua e ao horário eleitoral de rádio e televisão. Segundo o registro no TSE, o próprio Instituto Paraná está bancando o custo da pesquisa no valor de R$ 10 mil. O Instituto Paraná foi econômico no questionário. Mede apenas a avaliação popular da gestão de Roberto Cláudio e levanta a intenção de voto espontânea e estimulada dos concorrentes.

2 A pesquisa seguinte é do Ibope. Com 602 entrevistados que serão abordados nas ruas, trata-se de uma consulta mais ampla e mais estruturada que a do Paraná. A pesquisa é uma encomenda da TV Verdes Mares que pagou R$ 46.343,77 pelo levantamento exclusivo. No registro junto ao TSE, o Ibope diz que começou o campo dia 08 e só terminará dia 14, data marcada para a divulgação dos resultados. Além das perguntas espontânea, estimulada e rejeição dos candidatos, a consulta do Ibope vai medir também a aceitação e a popularidade das gestões de Roberto Cláudio, Camilo Santana e Jair Bolsonaro em Fortaleza.

3 A terceira pesquisa registrada no TSE é de responsabilidade do desconhecido Instituto Brasil de Pesquisas de Mercado e Opinião Pública (IBPI). Aqui, uma novidade: a consulta é uma encomenda do deputado federal Célio Studart, um dos concorrentes em Fortaleza. O parlamentar desembolsou R$ 18 mil para ter uma pesquisa para chamar de sua. Com maior universo de pesquisados entre todas, o IBPI vai ouvir 1.200 eleitores entre os dias 13 e 15 e promete divulgar os resultados já no dia 15. O questionário é vasto. Além das intenções de votos em Fortaleza, disseca a gestão de RC em diversas áreas, principalmente ambiental. Pede ao eleitor para avaliar, o prefeito e o presidente Bolsonaro, mas deixa o governador Camilo Santana de fora. Há lá uma questão inusitada: “Como você avalia a família Ferreira Gomes: Ótimo, bom, regular, ruim ou péssimo?”

4 A quarta pesquisa da super semana virá do Datafolha. Como já é tradicional, trata-se de um encomenda do jornal O Povo, que pagou R$ 68.238,86 para que o instituto entreviste 812 eleitores de Fortaleza. No registro da pesquisa no TSE, há um possível engano. O instituto diz que os resultados serão divulgados no dia 15, mas se contradiz dizendo que o campo da pesquisa começa no dia 14 e termina no dia 16. Certamente, o campo será dias 14 e 15, com divulgação dia 16, provavelmente na versão impressa do jornal. O equívoco precisa ser corrigido. Em seu questionário, o Datafolha pergunta o grau de interesse do eleitor na campanha, a intenção de voto espontânea, estimulada e a rejeição dos candidatos. Pede ao eleitor para avaliar RC, Camilo e Bolsonaro e ainda pergunta o quanto esses governantes podem influenciar em sua decisão de voto. Detalhe: o grau de influência de Lula e Ciro Gomes também são medidos. O Datafolha ainda entra na pandemia para saber como os eleitores avaliam as ações de RC, Camilo e Bolsonaro nessa área.

Ao Focus, o advogado Jáder Figueiredo, da Chapa Fortaleza Verde – Partido Verde – Célio Studart Prefeito e Galba Viana Vice, enviou nota sobre a questão da pesquisa. Abaixo, o material na íntegra:

“Não é correta a informação apresentada pelo veículo de que o nome de Célio Studart viria primeiro nas perguntas da pesquisa. Conforme contrato assinado com o instituto responsável pela condução dos trabalhos, os questionamentos sobre intenção de voto em candidatos, de forma estimulada, acontecerão com apresentação randômica dos nomes dos candidatos, para que se mantenha a isonomia. Essa prática é comum e é considerada a mais correta no âmbito de pesquisas eleitorais, a fim de se manter o respeito pela paridade de tratamento entre os envolvidos no pleito.

Além disso, a pesquisa eleitor registrada no TRE pela candidatura é um instrumento de planejamento estratégico comum ao ambiente eleitoral. Todos os candidatos realizam pesquisas, entretanto, a maior parte destes levantamentos são para consumo interno e não registrados no TRE. Como transparência sempre foi um compromisso da chapa, dos candidatos e do Partido Verde, registramos a pesquisa em atenção ao eleitorado de Fortaleza/CE, que poderá ter acesso livre aos resultados, auxiliando a população fortalezense com mais um instrumento de informação à sua disposição para melhor escolher o candidato a prefeito em quem votará no pleito que se aproxima, na forma da lei e com o melhor propósito de democratizar o processo eleitoral.”

 

Fábio Campos

Jornalista graduado pela Universidade Federal do Ceará (UFC), foi repórter de política e articulista do O Povo, o mais tradicional veículo de jornalismo impresso do Ceará, onde editou a Coluna Política por 14 anos (1996-2010) e a Coluna Fábio Campos por sete anos (2010-2017). Também foi editorialista do mesmo veículo entre 2013 e 2017. Concomitantemente às funções no jornal, editou o Anuário do Ceará por 15 anos, modernizando o conteúdo e o projeto gráfico da prestigiada publicação. Apresentou o programa Jogo Político na TV O Povo por 12 anos, ancorou o programa Contraponto na TV Cidade (Record), foi comentarista de política na TV Jangadeiro (SBT) e na rádio O Povo/CBN. Em agosto de 2017 iniciou a startup Focus.jor.