Veja a lista e as fortunas dos bilionários cearenses no ranking da Forbes 2021

A lista muda significativamente a cada ano. Mais ainda quando há uma alvissareira sequência de IPOs de empresas de todo o Brasil.


Entenda como a Forbes constrói o ranking. Reprodução

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

Focus publica com exclusividade os detalhes do grupo de cearenses presente no ranking dos bilionários elaborado pela revista Forbes. Como o levantamento se baseia no desempenho das empresas na Bolsa de Valores, as variações nas posições são absolutamente normais e são influenciadas por diversos fatores, como o câmbio da moeda brasileira em relação ao dolar, por exemplo (veja o quadro).

O fato é que a lista é apenas a personificação do sucesso dos negócios tocados por grandes empreendedores. É sempre bom lembrar que o Ceará possui pouco mais de 2% da riqueza nacional. No entanto, a força de trabalho do cearense mostra-se capaz de construir empresas que se tornaram líderes nacionais nos setores em que atuam.

Indultor da valorização dos negócios, a bolsa de valores brasileira vem recebendo uma leva de empresas fundadas no Ceará que fazem suas primeiras vendas de ações. A alavancagem financeira que ocorre como consequência faz com que essas empresas adquiram outras. É o ciclo do mercado.

Atentem que ainda há muitas empresas que são líderes em seus setores e que ainda não se abriram para a bolsa ou estão em fase de estudos. Com sede no Ceará, na cidade do Eusébio, a Três Corações, líder do setor de café em pó no Brasil, e a genuinamente cearense Marquise são empresas apontadas como potenciais candidatas a entrar na B3.

Outras empresas, como as que pertencem ao Grupo Edson Queiroz, não possuem membros na lista da Forbes pelo único e exclusivo  motivo de não ser fácil auditar o valor de um negócio que não está no mercado de capitais. O grupo é um dos líderes nacionais em águas minerais e gás de cozinha.

A lista da Forbes muda significativamente a cada ano. Mais ainda quando há uma alvissareira sequência de IPOs de empresas de todo o Brasil. Tanto que o número de bilionários registrados pela revista em 2021 é bem maior que a de 2020. São 77 nomes a mais perfazendo um total de 315. Entre eles 40 novos nomes, como é o caso do dono da Brisanet, Roberto Nogueira.

“A maioria dos novos integrantes é composta de acionistas das companhias que fizeram IPO na b3 nos últimos meses ou que engordaram seu valor de mercado no período”, explica a revista. Não há bons negócios na bolsa de valores que não estejam bem alicerçados no setor produtivo, que emprega, gera renda e desenvolvimento.

Vejam a lista de cearenses na Forbes 2021

1 Cândido Pinheiro Koren de Lima, 75 anos
Posição nacional – 14º
Patrimônio – R$ 21,00 bilhões
Variação patrimonial comparado a 2020 – +18,78%
Origem do patrimônio – Saúde/Hapvida

2 e 3 Jorge Pinheiro, 48 anos, e Cândido Pinheiro Jr, 50 anos
Posição nacional – 39º
Patrimônio – R$ 10,60 bilhões
Variação patrimonial comparado a 2020 – +23,83%
Origem do patrimônio – Saúde/Hapvida

4 Mário Araripe (66 anos) e família
Posição nacional – 60º
Patrimônio – R$ 8,10 bilhões
Variação patrimonial comparado a 2020 – 10,96%
Origem do patrimônio – Energia eólica/Casa dos Ventos

5  Consuelo Dias Branco, 85 anos
Posição nacional – 84º
Patrimônio – R$ 6,00 bilhões
Variação patrimonial comparado a 2020-2,44%
Origem do patrimônio – Alimentos/Grupo Dias Branco

6 José Roberto Nogueira (56 anos) e família
Posição nacional – 98º
Patrimônio – R$ 6,00 bilhões
Variação patrimonial comparado a 2020XX
Origem do patrimônio – Tecnologia/Brisanet

Oto de Sá Cavalcante (74 anos) e família
Posição nacional – 100º
Patrimônio – R$ 4,70 bilhões
Variação patrimonial comparado a 2020-37,58%
Origem do patrimônio – Educação/Arco

8 Francisco Deusmar Queiroz (73 anos) e família
Posição nacional – 104º
Patrimônio – R$ 4,50 bilhões
Variação patrimonial comparado a 20204,65%
Origem do patrimônio – Farmácias/Pague Menos

9 Amarílio Macêdo (76 anos) e família
Posição nacional – 165º
Patrimônio – R$ 2,80 bilhões
Variação patrimonial comparado a 2020-26,32%
Origem do patrimônio – Alimentos/Grupo J.Macêdo

10 Carlos Jereissati (76 anos) e família
Posição nacional – 207º
Patrimônio – R$ 2,20 bilhões
Variação patrimonial comparado a 2020-29,03%
Origem do patrimônio – Telecomunicações

11 Binho Bezerra (63 anos) e família
Posição nacional – 246º
Patrimônio – R$ 1,55 bilhões
Variação patrimonial comparado a 20200%
Origem do patrimônio – Setor financeiro

12 Everardo Telles (76 anos) e família
Posição nacional – 100º
Patrimônio – R$ 1,25 bilhões
Variação patrimonial comparado a 20200%
Origem do patrimônio – Indústria de bebidas

13 a 17 Regina Dias Branco, Ivens Dias Branco Jr (60 anos), Cláudio Dias Branco (54 anos), Marcos Dias Branco (56 anos) e Graça Dias Branco
Posição nacional – Cada um dos irmãos ocupa a 284º posição nacional
Patrimônio (individual) – R$ 1,20 bilhões
Variação patrimonial comparado a 2020 -1,64%
Origem do patrimônio – Produção de Alimendos/Grupo Dias Branco

 

Veja como estava a lista em 2020

Leia também
+ Em sexto lugar na lista de bilionários, Ceará supera com folga Pernambuco e Bahia

Fábio Campos

Jornalista graduado pela Universidade Federal do Ceará (UFC), foi repórter de política e articulista do O Povo, o mais tradicional veículo de jornalismo impresso do Ceará, onde editou a Coluna Política por 14 anos (1996-2010) e a Coluna Fábio Campos por sete anos (2010-2017). Também foi editorialista do mesmo veículo entre 2013 e 2017. Concomitantemente às funções no jornal, editou o Anuário do Ceará por 15 anos, modernizando o conteúdo e o projeto gráfico da prestigiada publicação. Apresentou o programa Jogo Político na TV O Povo por 12 anos, ancorou o programa Contraponto na TV Cidade (Record), foi comentarista de política na TV Jangadeiro (SBT) e na rádio O Povo/CBN. Em agosto de 2017 iniciou a startup Focus.jor.