Trocando em Miúdo

por Paulo Elpídio
Veja todos os artigos do autor

Pedro Paulo de Souza Montenegro (9.01.1928 / 9.06.2019)


 

Pedro Paulo de Souza Montenegro

(9.01.1928 / 9.06.2019)

Nascido em Quixadá em 9 de janeiro de 1928.

Fez estudos em nível médio no Seminário São Vicente, de Petrópolis. Estudou no Seminário de Caraça, Minas Gerais, alguns anos antes do incêndio que destruiu parte do conjunto arquitetônico do que viria transformar-se em Santuário de Caraça. Licenciou-se em Letras Neolatinas pela Pontifícia Universidade Católica, PUC, no Rio de Janeiro. Graduou-se em Direito pela Faculdade de Direito da UFC, 1955.

Funcionário concursado do Tribunal de Contas da União – TCU –, no Distrito Fedral, Rio de Janeiro.

No magistério militar, exerceu funções docentes na Escola Preparatória de Fortaleza, no Colégio Militar do Ceará e na Escola de Formação de Oficiais da Polícia Militar do Ceará, admitido por concurso público.

No ensino superior, fez carreira na UFC, tendo integrado o quadro docente da Faculdade Católica de Filosofia e de outros colégios públicos e particulares de Fortaleza.

Um dos fundadores da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade Federal do Ceará – UFC –, criada em 1963, quando era reitor Antônio Martins Filho, Pedro Paulo destacou-se pelos estudos no campo da Teoria Literária e da Literatura Brasileira. Autor de vários livros e ensaios críticos, consagrou-se ao magistério e foi mestre de, pelo menos, duas gerações de estudantes, na UFC e em outros estebelecimentos de ensino, onde lecionou língua e literatura espanholas e teoria literária.

Realizou estudos de especialização, em nível de Mestrado na Espanha, tendo sido aluno, com Eduardo Portella e orientando do eminente mestre Damaso Alonso, catedrático de Teoria Literária da Universidade de Madri. Foi professor visitante de Literatura Brasileira no Instituto de Estudos Luso-Brasileiros, da Universidade de Colônia, na Alemanha, e na Universidade do Tennessee, nos Estados Unidos.

Em sua obra acadêmica, publicou “La dinamica en los pronombres personales”, 1959; “Convivências”, 1969, e “A Teoria Literária na Obra crítica de Araripe Júnior”, 1974, pelas Edições UFC. Traduziu e publicou “A literatura Espanhola do Século de Ouro”, de Megalón Barceló, em 1971. Colaborou com numerosos jornais, dentre os quais na condição de redator da Tribuna da Imprensa, no Rio de Janeiro; escreveu para diversos períodicos especializados em sua área de especialidade

Membro da Academia Cearense de Letras, foi pró-reitor de Extensão da UFC, durante o reitorado de Paulo Elpídio de Menezes Neto, quando exerceu as funções de diretor das Edições UFC e do seu  Conselho Editorial.

Foi membro do Conselho Diretor da CAPES, no Ministério da Educação, em 1979/80 e assessor do professor Paulo Elpídio de Menezes Neto quando Secretário de Educação do Ceará, no primeiro governo Tasso Jereissati.

Portador de numerosas distinções acadêmicas, antre as quais a de Professor Emérito da UFC.

Casado com Germana de Souza Montenegro deixa cinco filhos, Inês, Paulo, Marcos, Carlos e Fávio e netos.

O Ceará perde um de seus intelectuais de maior projeção na literatura e uma vocação espontânea para o magistério, no qual construiu exemplo de dedicação e competência, associado ao prazer de ensinar e aprender, em que foi mestre diligente e brilhante.

Fortaleza, 10 de junho de 2019

PEMN

Legendas

Foto à esquerda: Com Germana, grande amor e cúmplice nas boas causas;

à direita: Tarquínio Prisco, Hélio Barros, Paulo Elpídio e Pedro Paulo, amigos e comparsas nas artes do espírito e solidários em face dos pecados menores  da sobrevivência…