Três ministros do TCU são delatados por Sérgio Cabral

O advogado Marcelo Nobre disse em nota que foi contratado pela Fecomércio para atuar em duas ações na corte de contas nas quais advogou por seis meses


Foto: Jorge William/Agência O Globo.

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

Sérgio Cabral delatou três ministros do TCU: Vital do Rêgo, Bruno Dantas e Raimundo Carreiro. Segundo a Crusoé, os ministros não quiseram se manifestar. “Eles teriam recebido valores mensais, por meio de um contrato simulado entre a Fecomércio e um escritório de advocacia”, diz a reportagem.

“Cada um dos ministros teria recebido 100 mil reais mensais por um período de mais de um ano, segundo a delação do ex-governador. Ele também afirma que outros 100 mil reais ficavam com o advogado Marcelo Nobre”, continua.

O advogado Marcelo Nobre disse em nota que foi contratado pela Fecomércio para atuar em duas ações na corte de contas nas quais advogou por seis meses, entre julho de 2016 e janeiro de 2017. Ele ainda conta que o contrato foi rescindido a seu pedido.

Nobre afirma que repudia a insinuação do seu envolvimento em atos ilegais e que, no período em que foi contratado da Fecomércio, esteve apenas com o ministro Weder de Oliveira. “O advogado Marcelo Nobre jamais teve audiência com qualquer outro ministro do TCU, e muito menos com os citados na delação de Sérgio Cabral, com quem nunca teve contato”, pontua a nota