Tradicional colégio do Rio de Janeiro institui o “querides alunes”

Tudo em nome do "suporte institucional à adoção de estratégias gramaticais de neutralização de gênero”.



Localizado na rica Zona Sul do Rio de Janeiro,  o Colégio Franco-Brasileiro enviou circular aos pais dos alunos estabelecendo o “compromisso com a promoção do respeito à diversidade e da valorização das diferenças no ambiente escolar”.

Porém, o colégio particular foi além: decidiu substituir a usual expressão “queridos alunos” por “querides alunes”.

A gramática que fique em plano inferior em nome do “suporte institucional à adoção de estratégias gramaticais de neutralização de gênero em nossos espaços formais e informais de aprendizagem”.

Inicialmente batizado de Lycée Français, o Colégio foi fundado em 13 de novembro de 1915, fruto de um esforço conjugado de franceses e brasileiros, com a finalidade de criar um estabelecimento escolar que cultivasse a aproximação entre os dois países.

Veja a nota do Colégio

 

Fábio Campos

Jornalista graduado pela Universidade Federal do Ceará (UFC), foi repórter de política e articulista do O Povo, o mais tradicional veículo de jornalismo impresso do Ceará, onde editou a Coluna Política por 14 anos (1996-2010) e a Coluna Fábio Campos por sete anos (2010-2017). Também foi editorialista do mesmo veículo entre 2013 e 2017. Concomitantemente às funções no jornal, editou o Anuário do Ceará por 15 anos, modernizando o conteúdo e o projeto gráfico da prestigiada publicação. Apresentou o programa Jogo Político na TV O Povo por 12 anos, ancorou o programa Contraponto na TV Cidade (Record), foi comentarista de política na TV Jangadeiro (SBT) e na rádio O Povo/CBN. Em agosto de 2017 iniciou a startup Focus.jor.