Tasso oficializa licença e entra de cabeça na articulação pró-Eduardo Leite

A licença do tucano, fato inédito em sua trajetória como senador, também cumpre uma tarefa política. No caso, abrir a vaga para que Feitosa exerça o mandato por quatro meses.


Tasso e Eduardo Leite: por enquanto, a dobradinha é para ganhar adisputa interna do PSDB.

Por Fábio Campos
fabiocampos@focus.jor.br

O senador Tasso Jereissai (PSDB) oficializou nesta quarta-feira a licença de seu mandato parlamentar durante os próximos quatro meses.  Por ser afastamento por interesse particular, o senador não tem direito aos salários. A licença começa nesta quinta-feira, 29, quando assume a cadeira o empresário Chiquinho Feitosa (DEM).

O tucano deixa provisoriamente o mandato com um objetivo: acompanhar a campanha do governador Eduardo Leite (RS) que disputa a indicação do PSDB para ser candidato a presidente da República em 2022.

Tasso já se agrega de imediato à agenda de Leite: nesta sexta-feira, 30, a dupla vai a Teresina (à tarde) e São Luís (à noite). No sabado pela manhã, o destino é Belém. Nas três cidades, reuniões com diretórios e filiados do PSDB. João Doria e Arthur Virgílio também disputam as primárias tucanas.

A licença de Tasso, fato inédito em sua trajetória como senador, também cumpre uma tarefa política de interesse local. No caso, abrir a vaga para que Feitosa exerça o mandato por quatro meses. O movimento fortalece as posições do demista para, no Ceará, ficar à frente da sigla que nascerá com a fusão DEM-PSL, a União Brasil.

Declarado candidato a governador em 2022, o deputado federal Capitão Wagner (Pros) também está na disputa para ficar à frente da União Brasil no Ceará. A articulação governista no Estado, da qual Feitosa faz parte, quer manter a nova sigla longe do Capitão.

 

Fábio Campos

Jornalista graduado pela Universidade Federal do Ceará (UFC), foi repórter de política e articulista do O Povo, o mais tradicional veículo de jornalismo impresso do Ceará, onde editou a Coluna Política por 14 anos (1996-2010) e a Coluna Fábio Campos por sete anos (2010-2017). Também foi editorialista do mesmo veículo entre 2013 e 2017. Concomitantemente às funções no jornal, editou o Anuário do Ceará por 15 anos, modernizando o conteúdo e o projeto gráfico da prestigiada publicação. Apresentou o programa Jogo Político na TV O Povo por 12 anos, ancorou o programa Contraponto na TV Cidade (Record), foi comentarista de política na TV Jangadeiro (SBT) e na rádio O Povo/CBN. Em agosto de 2017 iniciou a startup Focus.jor.