Tasso e Cid assinam CPI do MEC

Governista, o senador Eduardo Girão não apoia a instalação da investigação pelo Senado. "Gabinete paralelo" no MEC era organização criminosa sofisticada, diz PF


Cid Gomes (PDT-CE) e Tasso Jereissati (PSDB-CE) no planário do Senado. Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Os senadores cearenses Tasso Jereissati (PSDB) e Cid Gomes (PDT) assinaram o protocolo que viabiliza a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) voltada a apurar o suposto esquema de corrupção no Ministério da Educação durante a gestão do ex-ministro Milton Ribeiro. Governista, o senador Eduardo Girão não autografou o documento.

Com a quantidade de assinaturas necessárias, a instauração do colegiado ainda depende de aval do presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). A expectativa é de que o pedido seja protocolado junto à mesa diretora do Senado até a próxima terça-feira.  Randolfe Rodrigues (Rede), autor do pedido, ainda aguarda a assinatura de mais dois parlamentares: Marcelo Castro (MDB-PI) e Otto Alencar (PSD-BA).

Detalhe: se a CPI for instalada, Randolfe disse que vai avaliar deixar a coordenação da campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para priorizar a investigação. Para o senador, é “incompatível” assumir as duas funções.

Veja a lista de assinatura:

Randolfe Rodrigues (Rede-AP);
Paulo Paim (PT-RS);
Humberto Costa (PT-PE);
Renan Calheiros (MDB-AL);
Fabiano Contarato (PT-ES);
Jorge Kajuru (Podemos-GO);
Zenaide Maia (PROS-RN);
Paulo Rocha (PT-PA);
Omar Aziz (PSD-AM);
Rogério Carvalho (PT-SE);
Reguffe (União-DF);
Leila do Vôlei (PDT-DF);
Jean Paul Prates (PT-RN);
Jaques Wagner (PT-BA);
Eliziane Gama (Cidadania-MA);
Tasso Jereissati (PSDB-CE);
Cid Gomes (PDT-CE);
Alessandro Vieira (PSDB-SE);
Dário Berger (PSB-SC);
Simone Tebet (MDB-MS);
Mara Gabrilli (PSDB-SP);
Nilda Gondim (MDB-PB);
Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB).
José Serra (PSDB-SP);
Eduardo Braga (MDB-AM);
Rafael Tenório (MDB-AL) – Suplente do senador Renan Calheiros;
Alexandre Giordano (MDB-SP);
Izalci Lucas (PSDB-DF).

Fábio Campos

Jornalista graduado pela Universidade Federal do Ceará (UFC), foi repórter de política e articulista do O Povo, o mais tradicional veículo de jornalismo impresso do Ceará, onde editou a Coluna Política por 14 anos (1996-2010) e a Coluna Fábio Campos por sete anos (2010-2017). Também foi editorialista do mesmo veículo entre 2013 e 2017. Concomitantemente às funções no jornal, editou o Anuário do Ceará por 15 anos, modernizando o conteúdo e o projeto gráfico da prestigiada publicação. Apresentou o programa Jogo Político na TV O Povo por 12 anos, ancorou o programa Contraponto na TV Cidade (Record), foi comentarista de política na TV Jangadeiro (SBT) e na rádio O Povo/CBN. Em agosto de 2017 iniciou a startup Focus.jor.