Sindicatos empresariais do Ceará articulam polo químico e de confecções em Maranguape

Com terreno de 47 hectares próximo da CE-065, o empreendimento terá 35 lotes industriais


Polo industrial em Maranguape. Foto: Divulgação

Átila Varela
atila@focus.jor.br

Os sindicatos empresariais Sindquímica, Sindconfecções e do Sindroupas articulam a implantação de um polo químico e de confecções no município de Maranguape.

Com terreno de 47 hectares próximo da CE-065, o empreendimento terá 35 lotes industriais. Duas empresas já devem se instalar na poligonal: o Grupo Alyne Cosméticos e a Vonixx.

“O Polo de Maranguape segue a mesma linguagem do Polo de Guaiúba, trazendo o mesmo conceito moderno, que faz com que as empresas tenham articulação entre elas, divisão de tarefas e compartilhamento”, declarou o arquiteto André Moura.

“Acredito que uma vez iniciado, a evolução do Polo será muito rápida. Só vejo ganhos, no IDH e na economia do município, pois o empreendimento gerará muita mão-de-obra, ratificará a vocação para confecção que Maranguape já possui, como precursora no ramo de vestuário, e agregará mais um ramo, o setor químico”, afirmou o presidente do Sindquímica, Paulo Gurgel.

“Estamos vendo sair do papel o sonho do Polo Industrial de Maranguape, que vai envolver tanto o setor químico quanto o setor de vestuário. A Prefeitura já está encaminhando todos os esforços, já apresentamos esse projeto conceitual, a FIEC está totalmente envolvida e agora vamos ao Governo do Estado buscar os incentivos necessários para que esse Polo gere milhares de empregos no município de Maranguape. Agradeço imensamente a Federação das Indústrias pela parceria no projeto”, reforçou o prefeito de Maranguape, Átila Câmara.