Sindicato dos Médicos do Ceará afirma que profissionais de 16 municípios estão com salários atrasados

“O Sindicato orienta aos médicos que passem a documentar os plantões para comprovações futuras. Em caso de prejuízos salariais, deve-se procurar imediatamente a entidade para que as providências sejam tomadas", destaca o presidente da entidade, Leonardo Alcântara


Médico. Foto: Freepik.

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

O Sindicato dos Médicos do Ceará afirma que 16 municípios cearenses estão devendo os profissionais que atuam nas localidades.

A entidade elenca Aracati, Baturité, Caridade, Catunda, Chaval, Limoeiro do Norte, Pires Ferreira, Icó, Itapipoca, Mulungu, Acarape, Aracoiaba, Alto Santo, Maranguape, Ipueiras e Quixadá.

“O Sindicato orienta aos médicos que passem a documentar os plantões para comprovações futuras. Em caso de prejuízos salariais, deve-se procurar imediatamente a entidade para que as providências sejam tomadas e o problema seja solucionado o mais breve possível, para que não ocorra maior dano para a categoria e consequentemente para a população”, esclarece Leonardo Alcântara, presidente do sindicato.

A entidade ainda realiza o chamado “Devedômetro”. Na prática, o sindicato é acionado por médicos cujas remunerações estão em atraso. Após checar a denúncia, a entidade tenta resolver o problema de forma administrativa, através do seu departamento jurídico. Caso não haja resolutividade de negociações nesse âmbito, são tomadas as medidas judiciais para assegurar o respeito ao trabalho médico e feita a divulgação dos “maus pagadores e devedores” através das redes sociais oficiais e portal do Sindicato dos Médicos.

“A divulgação, feita sempre no primeiro dia útil de cada mês, é referente aos débitos do mês anterior. Os médicos cujas remunerações, por parte de órgãos públicos, estejam em atraso ou sofrendo reduções, devem comunicar imediatamente ao Sindicato dos Médicos, para que nós possamos verificar essa problemática”, ressalta o médico.