Setor de bares e restaurantes do Ceará questiona reajuste na tarifa de energia em meio à pandemia: “golpe final”

A tarifa de energia, a partir do mês que vem, que ficará 20% mais cara. De acordo com a Abrasel, cerca de 60% dos bares e restaurantes estão com as contas de energia atrasadas.


Restaurante. Foto: Freepik

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

Com cerca de 60% dos estabelecimentos com as contas de energia atrasadas, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) no Ceará questionou o reajuste na tarifa de energia, a partir do mês que vem, que ficará 20% mais cara.

“As contas da Enel já têm sido altas, e por não ter como pagar, por não ter como trabalhar, muitas pequenas empresas vem sofrendo cortes de energia e por consequência impedimento de voltar a reabrir seu negócio. Tem sido o golpe final no já endividado pequeno empresário”, relata o presidente da Abrasel no Ceará, Taiene Righetto.

De acordo com a Abrasel, cerca de 60% dos bares e restaurantes estão com as contas de energia atrasadas. Há cerca de um mês, o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), encaminhou para a Assembleia Legislativa e recebeu a aprovação para que o Estado pague os débitos a contas de energia de bares, lanchonetes e restaurantes.

“O Estado já se prontificou a pagar as contas de energia, porém precisamos operacionalizar isso com urgência já que a Enel não está disposta a esperar por nada e rapidamente está cortando a Energia tão essencial a todos.” completa.

Ainda não confirmação sobre o período em que as contas de energia de empresas ou de microempreendedores individuais (MEIs) do setor de alimentação fora do lar serão pagas, nem como funcionará o benefício.