PDT registra Enfermeira Ana Paula para o Senado

O caso se arrasta no TSE e gera prejuízos para a chapa majoritária de Roberto Cláudio. O registro da candidatura de Amarilio Macêdo está mantido.



Equipe Focus

focus@focus.jor.br

A liminar no âmbito do TSE que manteve a neutralidade do PSDB na disputa do Ceará faz estragos na chapa de Roberto Cláudio. Na noite de segunda-feira, 15, hora limite para inscrição das chapas na Justiça  Eleitoral, o PDT registrou a candidatura da vereadora Enfermeira Ana Paula enquanto espera o julgamento definitivo do caso pelo TSE.

Tanto o PDT quanto a federação mantinham expectativa de que o TSE julgasse o caso antes do fim do prazo e declarasse legal a intervenção do comando nacional do PSDB-Cidadania que quer compor com a candidatura de Roberto Cláudio ao Governo.

Dessa forma, o nome do empresário Amarilio Macêdo e do médico Dr. Cabeto, ambos do PSDB, não puderam compor de imediato a aliança com o PDT. Manter as candidaturas com a liminar favorável à tese da neutralidade pode implicar em graves prejuízos à chapa.

No entanto, o registro da candidatura dos dois tucanos se mantém por que o TSE decidiu no ano passado que partidos políticos podem apresentar candidatos ao Senado de forma independente. Além disso, segundo o entendimento do TSE, partidos que compõem a mesma coligação na disputa por um governo estadual podem apresentar mais de um candidato a senador.

Inicialmente cotada para concorrer a uma vaga de deputada federal, a vereadora pode até se tornar nome definitivo para concorrer ao Senado em chapa pura do PDT. Outras duas mulheres são as suplentes: Diana Carvalho e Monica Aguiar.

Quanto mais demorado for o julgamento do caso, maiores serão os problemas da aliança em torno de RC. Do ponto de vista político, não contar com o PSDB na aliança dificulta até produção do material e do conceito de campanha. Se o TSE mantiver a posição aprovada enquanto o PSDB estava sob o comando de Chiquinho Feitosa, a chapa de RC também terá prejuízos quanto ao tempo no horário eleitoral.

Leia Mais
+ O nó apertado de Chiquinho que Tasso precisa desatar

+Atenção: empresário Amarílio Macêdo é candidato a senador na chapa de RC
+Chiquinho chama Tasso para brigar no tapetão
+Tasso expulsa Chiquinho até da presidência do PSDB

 

Fábio Campos

Jornalista graduado pela Universidade Federal do Ceará (UFC), foi repórter de política e articulista do O Povo, o mais tradicional veículo de jornalismo impresso do Ceará, onde editou a Coluna Política por 14 anos (1996-2010) e a Coluna Fábio Campos por sete anos (2010-2017). Também foi editorialista do mesmo veículo entre 2013 e 2017. Concomitantemente às funções no jornal, editou o Anuário do Ceará por 15 anos, modernizando o conteúdo e o projeto gráfico da prestigiada publicação. Apresentou o programa Jogo Político na TV O Povo por 12 anos, ancorou o programa Contraponto na TV Cidade (Record), foi comentarista de política na TV Jangadeiro (SBT) e na rádio O Povo/CBN. Em agosto de 2017 iniciou a startup Focus.jor.