Santas Casas do Ceará acumulam dívida de R$ 50 milhões

No ranking das dívidas, figuram em primeiro lugar os empréstimos bancários, no valor de R$ 19 milhões. Em segundo lugar estão os pagamentos de fornecedores, superando R$ 14 milhões. Ao todo, são 47 unidades no Estado


Entrega das reivindicações da Femice ao deputado federal Capitão Wagner. Foto: Divulgação

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

As Santas Casas e hospitais filantrópicos do Ceará acumulam dívidas de R$ 50 milhões em 2019. No ranking das dívidas, figuram em primeiro lugar os empréstimos bancários, no valor de R$ 19 milhões. Em segundo lugar estão os pagamentos de fornecedores, superando R$ 14 milhões. Ao todo, são 47 unidades no Estado.

“Nosso principal desafio hoje é não cortar serviços e honrar os nossos pagamentos”, ressalta o presidente da Federação das Misericórdias e Entidades Filantrópicas do Estado do Ceará (Femice), Marcos Granemann. Ele esteve em Brasília na tarde de ontem, 14, com a bancada cearense na Câmara dos Deputados para tratar da situação das unidades de saúde. Também foi entregue uma carta solicitando socorro financeiro às entidades.

“As emendas são um suporte para o financiamento das entidades. Os custos sempre são superiores às receitas das Santas Casas. (retirei a vírgula) Elas funcionam como um complemento para esse déficit e ajudam as entidades na manutenção do seu funcionamento”, explica Granemann.

De acordo com a Femice, as 47 Santas Casas cearenses realizaram 51.588 procedimentos cirúrgicos das mais variadas especialidades, tais como, obstetrícia, pediátrica, cardiológica, neurológica, trauma/ortopédica, entre outras. O total de atendimentos atingiu 454.292.

No ano passado, o número de partos chegou a 19.013, índice superior aos 13.121 registrados em 2017. As unidades atualmente contam com 4.134 colaboradores (CLT), 537 prestadores de serviços e 686 médicos.

Abaixo, a carta das entidades filantrópicas de saúde entregue à bancada cearense na Câmara dos Deputados: 

“Nos 33 anos de Instituição, a Federação das Misericórdias e Entidades Filantrópicas do Ceará (FEMICE), vem buscando unir força e conhecimento, fomentando novas ideias através de parcerias e engajamento com o setor Filantrópico Nacional.

Atualmente, 47 Santas Casas e Hospitais Filantrópicos do Estado são responsáveis por mais de 50% dos procedimentos de média e alta complexidade realizados à população cearense e operam no vermelho. De acordo com o número consolidado pela FEMICE, a dívida ultrapassou R$ 50 milhões em 2019. No ranking das dívidas, figuram em primeiro lugar os empréstimos bancários, no valor de R$ 19 milhões. Em segundo lugar estão os pagamentos de fornecedores, superando R$ 14 milhões.

Atender a população com amor ao próximo e o compromisso firmado pela beneficência e misericórdia, é o que mantém as unidades em funcionamento. Somente em 2019, as 47 Santas Casas cearenses realizaram 51.588 procedimentos cirúrgicos das mais variadas especialidades, tais como, obstetrícia, pediátrica, cardiológica, neurológica, trauma/ortopédica, entre outras. O total de atendimentos atingiu 454.292.

No ano passado, o número de partos chegou a 19.013, índice superior aos 13.121 registrados em 2017. As unidades atualmente contam com 4.134 colaboradores (CLT), 537 prestadores de serviço e 686 médicos.

A aprovação de emendas de Projetos de Lei (PLs) pode fazer toda a diferença para o equilíbrio financeiro das Santas Casas. Queremos sensibilizar os parlamentares cearenses para lutarem por esta causa. O apoio de cada um dos nobres deputados será determinante para continuarmos operando e entregando serviços de qualidade à população do nosso Ceará.”

Marcos Granemann
Presidente FEMICE