Ricardo Sales minimizou fala em que defende “passar a boiada”

“O Brasil é um verdadeiro inferno em termos de burocracia", disse o ministro do Meio Ambiente


O Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Foto: Divulgação

Equipe Focus.Jor
focus@focus.jor.br

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, buscou explicar sua fala na reunião ministerial de 22 de abril, minimizando a sugestão que fez sobre mudar o regramento de sua área durante a pandemia da Covid-19.

“Precisa ter o esforço nosso aqui enquanto estamos nesse momento de tranquilidade no aspecto de cobertura de imprensa, porque só fala de Covid, e ir passando a boiada, ir mudando todo o regramento e simplificando normas, de Iphan, de Ministério da Agricultura, Ministério do Meio Ambiente, ministério disso, ministério daquilo”, estimulou Salles.

À CNN, o ministro do Meio Ambiente disse que, nos últimos 20 anos, o Brasil tem sido apontado internacionalmente como um “país de burocracia e de medidas contraditórias”.

“O Brasil é um verdadeiro inferno em termos de burocracia (…). Eu defendi que todos os ministérios, incluindo o Ministério do Meio Ambiente, que houvesse espaço para a desburocracia. O que eu defendi na reunião é que as normas infralegais, que não precisam passar pelo Congresso, [poderiam ser aprovadas]”, disse Salles.