RC e Izolda empatam na “certeza de voto”, mas o ex-prefeito de Fortaleza é líder na rejeição

Quando se analisa a coluna "poderia votar nele(a) para governador(a)", a situação de RC (36,1%) é mais confortável que a de Izolda (25,7%), um resultado muito próximo ao obtido por Wagner (28,2%).


Um quadro em especial do levantamento feito pelo Paraná Pesquisas no Ceará chama a atenção por dizer muito mais do que os próprios cenários simulados para medir a intenção de voto. O instituto mediu o potencial eleitoral dos candidatos Capitão Wagner, Roberto Cláudio, Izolda Cela e Adelita Monteiro.

A coluna mais importante é a que mede a rejeição dos candidatos citados. Entre os concorrentes com chances reais, a governadora Izolda Cela é a que possui a rejeição mais baixa. 28,7% dos eleitores afirmaram que “não votariam nela de jeito nenhum”.

Foi uma notícia ruim para o Roberto Cláudio, que recebeu 40,8% das menções contra 34,9% de cotações para o Capitão Wagner. A desconhecida Adelita Monteiro ficou com 15,2%.

No entanto, quando se analisa a coluna “poderia vota nele(a) para governador(a)”, a situação de RC (36,1%) é mais confortável que a de Izolda (25,7%), um resultado muito próximo ao obtido por Wagner (28,2%).

O percentual de eleitores que diz ter posição consolidada (“com certeza votaria nele(a) para governador(a))” tem os seguintes resultados: Wagner 28,8%, Izolda 11,3%, RC 11,0 e Adelita 0,7%. Notem que, entre todos, a candidata do Psol é a única que vai defender abertamente a candidatura presidencial de Luis Inácio Lula da Silva, que é o maior puxador de votos no Ceará.

 

Fábio Campos

Jornalista graduado pela Universidade Federal do Ceará (UFC), foi repórter de política e articulista do O Povo, o mais tradicional veículo de jornalismo impresso do Ceará, onde editou a Coluna Política por 14 anos (1996-2010) e a Coluna Fábio Campos por sete anos (2010-2017). Também foi editorialista do mesmo veículo entre 2013 e 2017. Concomitantemente às funções no jornal, editou o Anuário do Ceará por 15 anos, modernizando o conteúdo e o projeto gráfico da prestigiada publicação. Apresentou o programa Jogo Político na TV O Povo por 12 anos, ancorou o programa Contraponto na TV Cidade (Record), foi comentarista de política na TV Jangadeiro (SBT) e na rádio O Povo/CBN. Em agosto de 2017 iniciou a startup Focus.jor.