Primeiro embate de Wagner é com Feitosa: quem garantir a eleição da maior bancada leva o filé

O jogo será decidido no mais abslouto pragmatismo: quem oferecer as melhores condições de eleger a maior bancada ganha a disputa pelo comando da sigla.


Bivar, de camisa rosa, se reuniu com políticos e empresarios que apostam na candidatura de Wagner no Ceará.

Por Fábio Campos
fabiocampos@focus.jor.br

Antes de efetivamente ser oficializado como partido (União Brasil), com dois presidentes nacionais, dois presidentes em cada um dos estados brasileiros e circunstâncias locais muito diferentes entre si, a fusão PSL-DEM virou uma constelação de interesses contraditórios. O caso do Ceará que o diga.

Nesta segunda-feira, 06, em Fortaleza, Luciano Bivar, o cacique nacional do PSL, participou de um almoço com o deputado federal Capitão Wagner (Pros) e seus potenciais apoiadores na disputa pelo Governo do Ceará, em 2022. Na conversa, Bivar disse que o futuro União Brasil estará no colo de Wagner. Porém, há outro lado nessa história a ser ouvido.

Por seu lado, o presidente do DEM, Chiquinho Feitosa, hoje sentado na cadeira de senador e articulado com as forças governistas no Ceará, vem recebendo constantes indicativos de próceres da sigla e até de gente graúda do PSL dando a garantia de que será ele a comandar a União Brasil no Estado.

Portanto, anotem: essa decisão só vai sair aos 48 minutos dos acréscimos. E o apito final vai se basear no mais absoluto pragmatismo. A saber: quem garante as melhores condições para eleger a maior bancada federal? É este o ponto. Cada deputado federal representa uma saborosa fatia do filé batizado de fundo partidário.

 

 

Fábio Campos

Jornalista graduado pela Universidade Federal do Ceará (UFC), foi repórter de política e articulista do O Povo, o mais tradicional veículo de jornalismo impresso do Ceará, onde editou a Coluna Política por 14 anos (1996-2010) e a Coluna Fábio Campos por sete anos (2010-2017). Também foi editorialista do mesmo veículo entre 2013 e 2017. Concomitantemente às funções no jornal, editou o Anuário do Ceará por 15 anos, modernizando o conteúdo e o projeto gráfico da prestigiada publicação. Apresentou o programa Jogo Político na TV O Povo por 12 anos, ancorou o programa Contraponto na TV Cidade (Record), foi comentarista de política na TV Jangadeiro (SBT) e na rádio O Povo/CBN. Em agosto de 2017 iniciou a startup Focus.jor.