Prefeito de Salvador diz que União Brasil pode ir de Ciro em 2022

Em recente conversa com o pedetista, o presidente do DEM, ACM Neto disse que caso não haja um nome do União Brasil, a legenda está disposta a “construir um projeto para 2022 que contribua com o fim da polarização”.


Bruno Reis é prefeito de Salvador e aliado de ACM Neto

Por Fábio Campos
fabiocampos@
focus.jor.br

2022 vem aí e a roda da política continua girando. Nesta quarta-feira, uma novidade: em entrevista coletiva, o prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), afirmou que o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) será a opção do União Brasil na disputa pela Presidência da República em 2022 caso o futuro partido não lance candidatura própria. “Se não for possivel candidatura própria, Ciro Gomes é opção do União Brasil”. A nova siglal vai nascer da fusão entre o Democratas e o PSL. Portanto, deverá se tornar a maior bancada da Câmara dos Deputados.

Veja o que disse o prefeito de Salvador que é aliado de ACM Neto, presidente nacional do DEM: “Qual vai ser o posicionamento? Em 2022, o objetivo maior será ter uma candidatira própria. O ex-prefeito (ACM Neto) também disse isso, inclusive na presença de Ciro Gomes, que é parte interessada em ter esse apoio. Ter uma candidatura própria é conseguir ter um nome que reúna o sentimento da população e que possa ser essa caixa de ressonância. Se não for possível, nós vamos ver qual será o posicionamento”, disse Bruno Reis na cerimônia de lançamento do Salvador Solar, programa de incentivo ao consumo de energia fotovoltaica.

Apesar de o PSL ser o partido pelo qual Bolsonaro se elegeu, o União Brasil não terá ligação com presidente no Congresso Nacional, segundo o prefeito de Salvador. “Vai permancer no Democratas quem não quer fazer parte do govermo, como (será também com os parlamentares) do antigo PSL.”

Em conversa recente com Ciro Gomes, ACM Neto disse que caso não haja um nome do União Brasil, a legenda está disposta a “construir um projeto para 2022 que contribua com o fim dessa polarização”.

Fábio Campos

Jornalista graduado pela Universidade Federal do Ceará (UFC), foi repórter de política e articulista do O Povo, o mais tradicional veículo de jornalismo impresso do Ceará, onde editou a Coluna Política por 14 anos (1996-2010) e a Coluna Fábio Campos por sete anos (2010-2017). Também foi editorialista do mesmo veículo entre 2013 e 2017. Concomitantemente às funções no jornal, editou o Anuário do Ceará por 15 anos, modernizando o conteúdo e o projeto gráfico da prestigiada publicação. Apresentou o programa Jogo Político na TV O Povo por 12 anos, ancorou o programa Contraponto na TV Cidade (Record), foi comentarista de política na TV Jangadeiro (SBT) e na rádio O Povo/CBN. Em agosto de 2017 iniciou a startup Focus.jor.