Zema e seu “museu das mordomias” jogam pressão sobre governadores

"Todo governador que more na sua própria residência, porque a monarquia no Brasil já acabou há 130 anos"


Por Fábio Campos

Atentem para o tipo de comportamento político-administrativo que as eleições de outubro geraram no Brasil. O povo mineiro banca uma imensa e cara residência oficial para a moradia do governador e sua família. Eleito com estrondosa votação do segundo turno, o empresário Romeu Zema (NOVO), adiantou a intenção de transformar o Palácio das Mangabeiras em um “museu das mordomias”. “É para que todo mineiro veja como vive o imperador de Minas Gerais, um Estado falido, que sequer tem dinheiro para estar pagando os seus professores, militares e aposentados pontualmente”.

É óbvio que a atitude de Zema e de outros governantes vai gerar uma imensa pressão em cima de governadores e prefeitos. Que fique claro: o grande valor da atitude do futuro governador é simbólico. Caso a austeridade não se estenda à prática diária da administração, vai parecer apenas populismo.

“A partir do meu mandato, incluindo eu, todo governador que more na sua própria residência, porque a monarquia no Brasil já acabou há 130 anos e os nossos políticos ainda se sentem no direito de viver como a nobreza nos palácios. Isso é coisa da história que já ficou para trás, precisamos inaugurar uma nova era”. disse Zema.