Tasso e General Theophilo se encontram no Senado com a presença de Cid

A reunião da CAE recebia o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, que fazia a prestação de contas do ano perante os senadores.


Tasso e Theophilo se cumprimentam durante reunião da CAE enquanto são observados pelo presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn.

Por Fábio Campos
fabiocampos@focus.jor.br

Um dia após ser confirmado por Sérgio Moro para ocupar a Secretaria Nacional da Segurança Pública (SNSP), fato divulgado com exclusividade pelo Focus.jor na noite do dia 3, o general Theophilo fez uma visita a Tasso Jereissati (PSDB) no Senado. No momento da visita, o senador estava comandando uma audiência pública da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE). Na foto exclusiva acima, o momento do encontro dos dois.

A reunião da CAE recebia o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, que fazia a prestação de contas do ano perante os senadores. Eleito senador e já se integrando à Casa, Cid Gomes (PDT) também estava presente. A visita desfaz informações de bastidores dando conta de um suposto rompimento entre o general e o senador tucano.

O general se desfiliou do PSDB no dia 19 de novembro. Focus apurou que a desfiliação já era um fruto das conversas do general com a equipe de Jair Bolsonaro. Theophilo é um quatro estrelas muito respeitado pela cúpula das forças armadas e entraria no Governo de Bolsonaro por razões puramente técnicas. Por isso, a desfiliação era um ato importante.

No papel de Secretário Nacional de Segurança, uma boa relação com o Congresso é fundamental para o desempenho à frente da pasta. Um ponto em especial chama a atenção: Tasso é entusiasta da unificação das polícias. Ainda na década de 1990, quando governava o Ceará, o tucano contratou o norte-americano Wiliam Braton, o mentor e operador do programa de segurança que tirou Nova Iorque do mapa das cidades violentas do mundo.

Uma das ideias propostas por Braton foi justamente a unificação das políticas. Porém, o sistema legal brasileiro não permitia (como ainda não permite). Porém, a integração administrativa entre as polícias militar, civil e Bombeiros foi o fruto mais importante (e pioneiro no País) desse modelo de gestão unificada da segurança. Na época, quem comandava a segurança pública no Ceará era o General Cândido de Vargas Freire.