Tasso afirma que retirou assinatura porque CPI contra judiciário não tinha base legal

Em vídeo, Jereissati afirmou que o Senado, ao aprovar a Comissão, corria o risco de ser desmoralizado pelo próprio Judiciário.


Equipe Focus
focus@focus.jor.br

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) afirmou que retirou a assinatura da “CPI do Lava Toga” porque não havia base legal para instalação da investigação. O senador afirmou que não havia fato específico – requisito básico para instalação da CPI – que garantisse a segurança jurídica da abertura da investigação. Em vídeo, Jereissati afirmou que o Senado, ao aprovar a Comissão, corria o risco de ser desmoralizado pelo próprio Judiciário.

“Fomos alertados de que uma CPI só pode ser instalada se tiver um fato determinante, um assunto especifico, um escândalo especifico e em cima disso e instalar a CPI. Corríamos o risco que o próprio Judiciário viesse a desmoralizar o senado federal ao dizer da inconstitucionalidade e da ilegalidade desta CPI e não podíamos correr esse risco. Desejo como todos vocês um Judiciário limpo e transparente”, explicou.

 

 

Sobre a CPI do Lava Toga

Posted by Tasso Jereissati on Wednesday, 13 February 2019