Prefeito de Nova Iorque chama Bolsonaro de “perigoso”

À rádio WNYC, de Blasio ressaltou que Bolsonaro é "um ser humano muito perigoso". "Eu certamente pediria ao museu que não permitisse que ele fosse hospedado lá", ressaltou.


Foto: Stefan Jeremiah/New York Post

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

O prefeito de Nova Iorque, Bil de Blasio, afirmou na noite de ontem, 12, que tem atuado para evitar que o Museu Americano de História Natural cancele o evento de premiação da Câmara Brasileira de Comércio nos Estados Unidos em que homenageia o presidente Jair Bolsonaro como pessoa do ano. A cerimônia está marcada para ocorrer no dia 14 de maio.

À rádio WNYC, de Blasio ressaltou que Bolsonaro é “um ser humano muito perigoso”. “Eu certamente pediria ao museu que não permitisse que ele fosse hospedado lá”, ressaltou. O prefeito afirma estar preocupado com a “exploração da Amazônia”, o “racismo” e a “homofobia” de Bolsonaro.

O museu afirmou que não tinha conhecimento da homenagem e postou em seu Twitter: “Estamos profundamente preocupados e estamos explorando nossas opções”.