Marcos Pontes quer capital privado financiando pesquisas na universidade pública

Há restrições da comunidade quanto ao financiamento não público de trabalhos acadêmicos que possam interessar ao mercado


Equipe Focus
focus@focus.jor.br

O futuro ministro da Ciência e Tecnologia, o engenheiro Marcos Pontes, que vai abranger o Ensino Superior, relata que está entre as suas prioridades incentivar parcerias entre empresas privadas e universidades públicas. “Nossa legislação tem que ser revista para permitir que universidades recebam investimentos privados. Tem que ter doação também. Nos Estados Unidos isso é muito comum”, disse Pontes.

O futuro ministro, cuja formação profissional se deu em instituição pública (Instituto Tecnológico da Aeronáutica-ITA), reconhece que há resistência de parte da comunidade acadêmica em relação à proposta de permitir capital privado em universidades públicas. O argumento é que recursos oriundos de empresas acabe por favorecer interesses do mercado em detrimento de necessidades da sociedade. É a velha visão de que o interesse do mercado jamais coincidirá com o da sociedade.