Paulo Guedes usa discurso para dizer que sua paciência tem limite

Caso não passe uma reforma da Previdência na expectativa planejada, o ministro disse: "Vou sair daqui rápido, porque esse pessoal não é confiável. Não ajudam nem os filhos; então, o que será que vão fazer comigo?"


Foto: Divulgação

Por Fábio Campos
fabiocampos@focus.jor.br

Paulo Guedes (Economia) começa a sinalizar que sua paciência e capacidade de suportar o vai e vem da política tem limites. Na posse de Roberto Campos Neto na presidência do Banco Central, o “posto Ipiranga” da campanha de Jair Bolsonaro se saiu com um discurso de improviso que diz muito de sua disposição;

Leiam:

“Estamos num sistema [previdenciário] de repartição que quebrou. Faliu antes de a população envelhecer. Vocês querem trazer seus filhos para isso?…  Se der acima de R$ 1 trilhão [de economia, com a aprovação da reforma], eu digo que estamos numa geração de pessoas responsáveis e têm a coragem de assumir o compromisso de libertar filhos e netos de uma maldição previdenciária. Se botarem menos, eu vou dizer assim: ‘Eu vou sair daqui rápido, porque esse pessoal não é confiável. Não ajudam nem os filhos; então, o que será que vão fazer comigo?’”