Paranaense Copel desponta como potencial interessada na Enel Ceará

A declaração do presidente da companhia de "olhar" o ativo por ser estratégico já aquece o mercado (e aumenta as especulações)


Prédio da Copel. Foto: Foto: Aniele Nascimento/Arquivo/Gazeta do Povo

Por Átila Varela
atila@focus.jor.br

Após a Enel colocar sua distribuidora no Ceará à venda (a Enel Ceará), a Copel desponta como uma potencial interessada.

Daniel Slaviero, diretor-presidente da Copel, destacou que “pretende olhar” para o ativo por ser estratégico.

Se o negócio for para frente, a paranense Copel colocará os pés no Nordeste na área de distribuição.

A empresa já atua no Nordeste, especialmente na parte da energia eólica. É dona do complexo eólico Jandaíra, no Rio Grande do Norte.

Copel em vias de privatização

A mais recente informação sobre o processo de privatização da Copel reside na Assembleia Legislativa do Paraná. O Governo do Estado encaminhou mensagem à Casa Legislativa para transformar a companhia em uma corporação por meio da oferta de ações.

Atualmente, o Paraná tem 31% do capital da Copel. Estabelece também que nenhum acionista deve ter mais de 10% das ações da companhia.

O Governo paranaense emitiu nota falando sobre o futuro negócio. “O modelo de corporação, consagrado nos países mais desenvolvidos, é o mais moderno da atualidade. Ele é adotado por empresas como a Vale, Embraer e Eletrobras, gigantes dos seus setores. Dessa maneira, a companhia estará pronta para as mudanças que vão impactar o setor energético nos próximos anos, voltadas aos compromissos ambientais e de geração limpa”.

Hoje a Copel conta com 5 milhões de unidades atendidas em 394 municípios. Se for concretizada a privatização, a sede permanecerá em Curitiba. O nome também será mantido.

Plano de desinvestimento da Enel

Anunciado na manhã de terça-feira, 22, a Enel publicou fato relevante informando “uma possibilidade de alienação do controle acionário da Companhia, detido por sua controladora direta Enel Brasil S.A., muito embora ainda não tenham sido iniciadas concretamente quaisquer medidas e procedimentos em tal sentido”.

Trocando em miúdos: a Enel vai se desfazer de ativos conforme consta em seu plano de desinvestimento 2023-2025. A soma é de 25 bilhões de euros, pouco mais de R$ 115 bilhões.

Atualmente, a Enel Ceará fornece energia para os 184 municípios cearenses. Atende 4,38 milhões de unidades consumidoras no Estado.