Para 2022, PDT teme efeito da “baixa intensidade” de Sarto


Por Fábio Campos
fabiocampos@focus.jor.br

Concentrada em fazer o sucessor de Camilo Santana em 2022, a cúpula do PDT está preocupada com o desempenho do prefeito José Sarto em Fortaleza. Nas conversas à boca miúda, há reclamações quanto ao que é caracterizado como um gestor de “baixa intensidade”. O temor é a repetição em maior escala do ocorrido na Capital em 2014, quando Camilo perdeu para Eunício Oliveira tanto no primeiro turno quanto no segundo por uma significativa diferença.

 

 

Fábio Campos

Jornalista graduado pela Universidade Federal do Ceará (UFC), foi repórter de política e articulista do O Povo, o mais tradicional veículo de jornalismo impresso do Ceará, onde editou a Coluna Política por 14 anos (1996-2010) e a Coluna Fábio Campos por sete anos (2010-2017). Também foi editorialista do mesmo veículo entre 2013 e 2017. Concomitantemente às funções no jornal, editou o Anuário do Ceará por 15 anos, modernizando o conteúdo e o projeto gráfico da prestigiada publicação. Apresentou o programa Jogo Político na TV O Povo por 12 anos, ancorou o programa Contraponto na TV Cidade (Record), foi comentarista de política na TV Jangadeiro (SBT) e na rádio O Povo/CBN. Em agosto de 2017 iniciou a startup Focus.jor.