O dia em que o PDT do Ceará deu uma de PT e foi a voto

A vitória de RC no âmbito do diretório estadual da sigla está longe de resolver a questão. O ex-prefeito jogou o jogo e levou a melhor.


Izolda Cela deixa a sede do PDT ao lado do seu aliado, o deputado federal Idilvan Alencar

Eis o dia em que o PDT do Ceará deu uma de PT e foi à votação interna. Tudo muito inusitado. O diretório estadual do PDT configurou um jogo fácil, fácil para o desejo de Ciro Gomes, que nem precisou ir votar. O senador Cid Gomes certamente tinha essa conta na mão e nem sequer foi ao encontro. André Figueiredo já contabilizava a tranquilidade.

Sim, o comando do PDT teve a, digamos, coragem de submeter sua governadora a uma votação da qual somente ela e seus aliados não sabiam o resultado.

Lembro que o PT e seu comando jamais perdoram o então senador Eduardo Suplicy quando este teimou em bater chapa contra Lula, criando uma disputa interna no PT. Isso foi lá em 2006.

Jogada de mestre doencontro foi antes da votação juntar RC e Izolda diante de André Figueiredoo e Carlos Lupe e, daí, fazê-los prometer que um e outro seguiriam a determinação que saíesse do encontro. Feito isso, foi-se ao voto.

Do seu lado, RC fez tudo certo. Conteve sua turma, não deu declarações públicas agressivas, mateve-se firme no jogo, costurou por cima, fez as contas e ganhou a parada.

No entanto, a folgada vitória de Roberto Cláudio sobre Izolda Cela na disputa interna da sigla está longe de encerrar diversas questões de cunho político.

A primeira delas: como vão se comportar os aliados mais à esquerda, como o PT e PCdoB? O PSB já decretou que vai com o PDT. Vai ser cumprido discurso de que se for RC o caminho da esquerda e mais o MDB é lançar candidatura própria?

E depois da detonada de Ivo Gomes em Domingos Filho, o lugar de vice vai ser mesmo do PSD?

Bom, são questões que serão respondidas ao longo do tempo.

Sabe-se que Izolda Cela unificava a velha aliança. Tanto que com ela a coisa toda seria uma equação fácil de resolver.

Agora é a hora do ex-prefeito Roberto Cláudio cair em campo e aparar diversas arestas. Terá a ajuda de Camilo Santana para tal?

Na sua primeira entrevista logo após aclamado vencedor, Roberto Cláudio passou uma senha: “Os partidos aliados são importantes. O mais importante é ouvir o povo”.

Um fato chamou a atenção: o presidente da Assembleia, Evandro Leitão, deixou a votação quando entendeu que havia uma derrota flagrante. O fato diz muito do espírito que agora comanda o PDT. Veremos no que vai dar.

 

Fábio Campos

Jornalista graduado pela Universidade Federal do Ceará (UFC), foi repórter de política e articulista do O Povo, o mais tradicional veículo de jornalismo impresso do Ceará, onde editou a Coluna Política por 14 anos (1996-2010) e a Coluna Fábio Campos por sete anos (2010-2017). Também foi editorialista do mesmo veículo entre 2013 e 2017. Concomitantemente às funções no jornal, editou o Anuário do Ceará por 15 anos, modernizando o conteúdo e o projeto gráfico da prestigiada publicação. Apresentou o programa Jogo Político na TV O Povo por 12 anos, ancorou o programa Contraponto na TV Cidade (Record), foi comentarista de política na TV Jangadeiro (SBT) e na rádio O Povo/CBN. Em agosto de 2017 iniciou a startup Focus.jor.