O 1º emprego a gente nunca esquece, mas Eduardo Bolsonaro não lembra

Aos 18 anos, recém aprovado na UFRJ, o 03 ganhou uma boquinha como assessor em Brasília. O salário era o equivalente a R$ 9,8 mil. Deveria ter dado expediente na Câmara dos Deputados DF, mas nunca saiu do Rio.


Foto: Agência Câmara

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

Aos 18 anos, recém aprovado na faculdade, Eduardo Bolsonaro ganhou uma boquinha como assessor da liderança do PTB, então partido do pai, na Câmara dos Deputados. O ano era 2003 e o cargo comissionado era de 40 horas semanais. “Com a contratação, o filho 03 do presidente entrava com o pé direito em um mercado de trabalho marcado naquele ano por índice recorde de desemprego”, aponta reportagem da BBC Brasil.

O titulo da reportagem é: Faculdade no Rio, emprego em Brasília: o cargo na Câmara que Eduardo Bolsonaro ganhou aos 18 anos e não lembra. “Por um ano e quatro meses, o calouro de Direito ocupou um cargo que pagava o equivalente a R$ 9,8 mil por mês, em valores atuais, um rendimento maior que o de 98% dos brasileiros”, diz o texto.

Segundo as normas da Câmara dos Deputados vigentes à época, o posto foi ocupado de forma irregular. Afinal, só poderia ser preenchido por alguém que desse expediente no Congresso.

Esse tipo de cargo é o que a Câmara tem “por finalidade a prestação de serviços de assessoramento aos órgãos da Casa, em Brasília. Desse modo, (os servidores) não possuem a prerrogativa de exercerem suas atividades em outra cidade além da capital federal”. O problema é a faculdade do 03 era no Rio de Janeiro. Então, a norma foi burlada. Mas Eduardo não se lembra.

Veja um trecho da reportagem da BBC com uma entrevista de Eduardo Bolsonaro, hoje deputado federal.

Questionado pela BBC News Brasil sobre a função na Câmara, Eduardo Bolsonaro demonstrou não ter memória de seu primeiro emprego público formal.

Em coletiva de imprensa, em julho de 2019, um repórter da BBC News Brasil o questionou sobre o emprego na Câmara a partir de 2003:

Eduardo Bolsonaro – Dois mil e…?

BBC News Brasil – 2003.

Eduardo Bolsonaro – Tá.

BBC News Brasil – Como é possível isso?

Eduardo Bolsonaro – Ué, você nunca conseguiu trabalhar e estudar ao mesmo tempo na sua vida, não?

BBC News Brasil – Em cidades diferentes?

Eduardo Bolsonaro – Em cidades diferentes?

BBC News Brasil – O sr. era servidor aqui em Brasília e cursava no Rio, não?

Eduardo Bolsonaro – Assumindo alguma atividade partidária… Agora… Em 2003?

BBC News Brasil – Em 2003 e 2004, por 16 meses.

Eduardo Bolsonaro – Olha, eu teria que puxar forte pela memória aqui então… Mas eu acho que não teria problema nenhum, conseguir trabalhar, prestar um serviço partidário. Inclusive eu já tive assessor meu que eu encontrava com ele uma vez por mês no máximo, né? (O assessor) prestava a minha assessoria de maneira local no litoral de São Paulo.