“Não há mal que dure para sempre”, afirma Bretas após decisão do STF

Procuradores que atuam na Lava Jato já criticavam duramente o fim da aplicação das prisões em segunda instância


Marcelo Bretas. Foto: Divulgação Facebook

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

O juiz que conduz a Lava Jato no Rio de Janeiro, Marcelo Bretas, publicou uma indireta à decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), após a Corte ter derrubado a prisão em segunda instância.

“Não há mal que dure para sempre. Na vida todos os problemas podem ser resolvidos, é apenas uma questão de tempo, as vezes de muito pouco tempo”, declarou o magistrado.

Procuradores que atuam na Lava Jato já criticavam duramente o fim da aplicação das prisões em segunda instância. Na avaliação deles, a mudança privilegia quem tem maior poder econômico, que tem mais condições de apresentar recursos na Justiça, e favorece a impunidade e a corrupção. As informações são do Congresso em Foco.

Leia Mais
+Moro tem esperança que Congresso altere decisão do STF
+“Não dê munição ao canalha que está momentaneamente livre”, dispara Bolsonaro