Maradona foi a Cuba se desintoxicar do vício em drogas e gerou três filhos na Ilha

Em sua estadia na Suécia, durante a Copa de 1958, o segundo maior craque da História do futebol, o brasileiro Garrincha, aproveitava suas folgas para namorar. O maior driblador da História deixou um filho sueco.


Equipe Focus
focus@focus.jor.br

Diego Maradona, um dos três maiores craques da História do Futebol, passou várias temporadas em Cuba no período entre  2000 e 2005 para tentar se reabilitar do vício em drogas. Nos intervalos do tratamento, o jogador se dedicava a outro esporte: namorar com cubanas. Tanto que deixou na ilha a marca de três filhos com duas diferentes mulheres. O ex-jogador diz que irá reconhecê-los legalmente.

“Até o momento, Maradona, atual técnico do time mexicano Dorados de Sinaloa, tinha cinco filhos de quatro mulheres. Se confirmada a paternidade, o número subirá para oito. “Eu respeito tanto Jana, como Junior, Dalma, Gianina e as crianças de Cuba”, disse o advogado Matías Morla, em entrevista ao canal 13, em referência aos filhos do jogador. Morla acrescentou que Maradona pretende viajar a Havana no meio do ano”, informa texto do O Globo.

“Vamos fazer os exames de DNA. São de mulheres diferentes e Diego (Maradona) irá reconhecê-los quando voltar a Cuba”, disse Morla ao jornal argentino Clarín.

Focus lembra: em sua estadia na Suécia, durante a Copa de 1958, o segundo maior craque da História do futebol, o brasileiro Garrincha, aproveitava suas folgas para namorar. O maior driblador da História deixou um filho sueco. A propósito: o maior de todos, Pelé, também se viu envolvido em casos de reconhecimento de paternidade.