Movimentos de Cid, Elmano e Sarto isolam ainda mais RC

Não foi á toa, que para assombro dos robertistas, Sarto não tenha sido nada econômico em projetar "um grande Governo" para Elmano de Freitas. 


A rosa é o símbolo do PDT

Os movimentos de Cid Gomes e Elmano de Feitas para aproximar tanto o PDT quanto o prefeito José Sarto (PDT) da base governista isolam ainda mais o ex-prefeito Roberto Cláudio. Por si só, o resultado da eleição para o Governo do Ceará já havia situado RC em um quadro de isolamento político.

Cid fez um grande favor ao prefeito quando articulou a retirada da candidatura de oposição na Câmara de Fortaleza. No caso, o vereador Léo Couto (PSB). O início de um incêdio foi apagado ainda nas primeiras chamas. Na ação, Cid atropelou até mesmo os interesses da bancada petista na Casa, que, reforçada pela vitória na disputa estadual, esfregava as mãos com a articulação pró-Couto.

Muito dependende de repasses estaduais para as obras e projetos em Fortaleza, Sarto também fez sua parte ao fazer esforços apenas protocolares na campanha de RC. Um fusquinha ali, uma caminhada acolá… Terminada a eleição, o prefeito, que é experiente nos bastidores, tratou de arrefecer os ânimos da tropa que o cerca, recheada de gente ligada ao ex-prefeito.

Não foi á toa, que para assombro dos robertistas, Sarto não tenha sido nada econômico em projetar “um grande Governo” para Elmano de Freitas.

Sim, é importante para Elmano de Freitas o apoio da bancada de deputados estaduais que o PDT elegeu. São 14, que é o número suficiente para, por exemplo, aprovar uma CPI. No entanto, essa é a menor das preocupações. Afinal, digamos… 93% da bancada pedetista está ansiosa para se colocar confortavelmente na base governista.

E, claro, há quem articule esse movimento de adesão para que as coisas não pareçam tão banais. Ainda mais quando é o pouco habilidoso Carlos Lupi, lá do Rio de Janeiro, o convocado para gerir o processo que definirá o futuro do partido no Ceará. Quem foi mesmo o autor dessa ideia tão ruim?