Ministério Público não vê irregularidades e arquiva ação que investigava compra de respiradores pelo Ceará

Para o MPF, o inquérito da Polícia Federal não encontrou qualquer indício de crime de improbidade administrativa ou má gerência nos recursos públicos.


Aparelho respirador.
Aparelho respirador. Foto: Axel Heimken/dpa/Pool/dpa/AFP

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

Não identificando irregularidades que configurem um crime, o Ministério Público Federal (MPF) arquivou ação instaurada para apurar possíveis irregularidades na compra de 700 respiradores por parte do Governo do Ceará.

Os equipamento foram adquiridos em março do ano passado, da empresa China Meheco Corporation, e custaram US$ 23 mil, cada. O valor total chegou a US$ 16,1 milhões, ou equivalente a R$ 82,2 milhões — conversão da época.

Para o MPF, o inquérito da Polícia Federal não encontrou qualquer indício de crime de improbidade administrativa ou má gerência nos recursos públicos.