Mandetta nega que Bolsonaro tenha pressionado ministério a contrariar medidas da OMS

Durante a CPI da Covid, o ex-ministro da Saúde disse ainda que a OMS "demorou muito" para reconhecer que havia uma pandemia.


Ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

O ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta negou que o presidente Jair Bolsonaro tenha pressionado a pasta para ir contra as medidas da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Questionado pelo senador Randolfe Rodrigues se teria havido pressão do presidente para se manifestar contra as medidas da OMS, Mandetta disse que “não”. “Mas o ministério foi confrontado publicamente”, disse.

Na ocasião, o ex-ministro criticou a demora da OMS em reconhecer que havia uma pandemia, o que ocorreu apenas no dia 11 de março de 2020. “Acho que demoraram muito tempo”, disse Mandetta. Para ele, se o órgão tivesse admitido antes, os países teriam tido tempo para se preparar melhor.