Mandeta diz que Bolsonaro quis mudar bula da cloroquina

O ex-ministro afirmou que ficou sabendo da intenção de Bolsonaro durante uma reunião com o presidente e outros ministros quando ainda chefiava a pasta da Saúde


Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil.

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

Henrique Mandetta, ex-ministro da Saúde, disse durante entrevista à Globonews na noite da quarta-feira, 20, que Bolsonaro tinha a pretensão de alterar a bula de medicamentos a base de cloroquina através de um decreto presidencial como forma de recomendar a substância no combate ao coronavírus.

O ex-ministro afirmou que ficou sabendo da intenção de Bolsonaro durante uma reunião com o presidente e outros ministros quando ainda chefiava a pasta da Saúde. Mandetta, assim como seu sucessor, Nelson Teich, deixou o governo diante da pressão do chefe do Executivo pelo uso indiscriminado da cloroquina no tratamento de COVID–19.

“No final de um dia de reunião de conselho ministerial, me pediram para entrar numa sala e estavam lá um médico anestesista e uma médica imunologista, que estavam com a redação de um provável ou futuro, ou alguma coisa do gênero, um decreto presidencial. E a ideia que eles tinham era de alterar a bula do medicamento na Anvisa, colocando na bula indicação para COVID-19”, disse Mandetta à Globonews.