Lula pediu a Elmano três projetos para investir? Focus aponta quais poderiam ser

Tomara que o Ceará não caia no conto de priorizar projetos caros e de baixo impacto no desenvolvimento, como o metrô e outros já bem conhecidos


Por Fábio Campos
fabiocampos@focus.jor.br

Governador do Ceará a partir do dia 1º de janeiro, Elmano de Freitas contou que foi abordado por Lula da Silva com uma curiosa questão: que aponte três obras de infraestrutura prioritárias para o Estado (veja aqui). Bom, fica explícito que tais projetos, obviamente de grande envergadura, seriam bancados pelo Governo Federal.

Em resposta, Elmano disse que iria antes ouvir setores da sociedade e, certamente, o quadro de profissionais que compõe a Secretaria de Desenvolvimento do Ceará, além de outros técnicos de outras pastas.  

Focus ouviu pelo menos três fontes a respeito. Quais seriam os três projetos de infraestrutura mais relevantes para o Ceará? Tomara que não se caia no conto das velhas obras, como o caríssimo e questionável metrô outras já sabemos bem.

Pelo que Focus apurou, o melhor conjunto é o seguinte: 

Obras relacionadas à tarnsposição no Ceará. Foto: Divulgação Governo do Estado

1 – Recursos Hídricos
Por motivos óbvios, a área é desde sempre prioritária e estratégica para o Ceará. Não apenas para segurança do consumo humano, mas também como fundamental para o desenvolvimento econômico, tanto na área industrial quantona agropecuária.

Obrs Nos últimos 50 anos, o Ceará avançou muito nas políticas de recursos hídricos. E o melhor: sem quebra de continuidade po causa de mudanças no centro do poder local.  Porétrata-se de um setor que sempre haverá demandas.

Hidrogênio verde. Foto: Mike Mareen – stock.adobe.com

2 – O hub de Hidrogênio Verde
O apoio federal à estrutura do Hub de H2V é muito importante para o Ceará avançar na área que vem se configurando como a grande plataforma para que o Estado dê um grande salto em eu processo de desenvolvimento.

A situação gográfica privilegiada do Ceará e seu imenso potencial gerador de energia eólica e solar estabeleceram condições muito atrativas para implantar uma cadeia de produção, armazenamento e transporte do hidrogênio verde, a fonte energética limpa que se configura como uma unanimidade mundial.

O fato é que o Ceará se antecipou no País e entrou no mapa mundi do H2V. Sim, as plantas geradores de Hidrogênio Verde são privadas. Então, o que o Governo Federal precisa fazer?

Aqui o importante não são obras, mas sim a regulamentação para o setor que é novo e, na sequência, os primeiros leilões de off shore.

A educação tem papel pioritário em todo e qualquer projeto de desenvolvimento

3 – Educação
Sim, senhores. Quer o Ceará três vezes mais forte, presidente Lula? Eis a área em que o senhor pode dar uma grande contribuição ao Ceará. Como se sabe, os ensinos fundamental e médio são de responsabilidade de estados e municípios, mas o Ceará é o estado mais maduro do país numa parte na qual o Governo Federal poderia dar uma grande contribuição: a universalização do tempo integral nas escolas.

Qualquer Governo que se preze no Ceará tem o dever de buscar a universalização do tempo integral na educação. Com a articulação correta e projetos bem feitos, óbvio que o Governo Federal pode dar uma grande ajuda para isso.

De quebra, o governador Elmano pode ajustar com o presidente um reforço importante para que o ensino superior (público) abrigado no Ceará possa avançar mais no Estado. Estão aí a UFC, a UECE e o IFCE, instituições que podem crescer muito na qualidade do ensino e da pesquisa.

 

Fábio Campos

Jornalista graduado pela Universidade Federal do Ceará (UFC), foi repórter de política e articulista do O Povo, o mais tradicional veículo de jornalismo impresso do Ceará, onde editou a Coluna Política por 14 anos (1996-2010) e a Coluna Fábio Campos por sete anos (2010-2017). Também foi editorialista do mesmo veículo entre 2013 e 2017. Concomitantemente às funções no jornal, editou o Anuário do Ceará por 15 anos, modernizando o conteúdo e o projeto gráfico da prestigiada publicação. Apresentou o programa Jogo Político na TV O Povo por 12 anos, ancorou o programa Contraponto na TV Cidade (Record), foi comentarista de política na TV Jangadeiro (SBT) e na rádio O Povo/CBN. Em agosto de 2017 iniciou a startup Focus.jor.