Léo Pinheiro aponta em delação Aloysio Nunes como articulador da propina do PSDB junto à OAS

Preso desde 2016, Léo Pinheiro saiu da prisão na última terça-feira, 17, após ter seu pedido de delação premiada homologado pelo STF. 


Equipe Focus
focus@focus.jor.br

O ex-senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) era o principal articulador das propinas destinadas a sigla, entre elas a candidatura do senador Jose Serra à Presidência da República em 2010. A afirmação é do ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro, em depoimentos dados para delação premiada e foi revelada a partir dos dados conseguidos pela The Intercept e publicadas neste sábado pela Folha de S.Paulo. Preso desde 2016, Léo Pinheiro saiu da prisão na última terça-feira, 17, após ter seu pedido de delação premiada homologado pelo STF.

O ex-presidente da OAS citou como alvo de suposto desvio a ponte estaiada Octavio Frias de Oliveira, o túnel da Radial Leste, a rodovia Carvalho Pinto e a linha 4-amarela do Metrô. A delação aponta que parte do dinheiro era entregue em espécie a indicados por Aloysio Nunes. Léo Pinheiro também falou que durante a gestão de Gilberto Kassab, a OAS manteve o pagamento das propinas, desta vez nas obras da avenida Jornalista Roberto Marinho e em contratos da Secretaria Municipal da Habitação.

À Folha, Aloysio Nunes negou qualquer participação em esquemas de propinas. “Tudo o mais só posso atribuir à pressão psicológica exxercidas pelos procuradores para obter delações mentirosas de alguém a tanto tempo encarcerado”.