Lava Jato suspeita: para Ciro, “excesso de aplausos às gravatinhas borboletas” cobraria o preço

"O que estamos vendo hoje é exatamente o que eu alertava. Isso não é ter bola de cristal, é conhecer a história brasileira", disse o pedetista.


Foto: Divulgação

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

Ciro Gomes também usou suas redes sociais para se posicionar acerca do conteúdo das trocas de mensagens entre o então juiz federal Sérgio Moro e procurados da Força Tarefa da Lava Jato. Os vazamentos sugerem combinações entre o Judiciário e o Ministério Público. Ciro lembra ter alertado para “os erros e os desmandos” que gerariam “de um lado injustiças e, de outro, nulidades que garantiriam liberdade a culpados”.

“Fui ainda mais específico, quando disse que cada um deveria voltar para sua ‘caixinha’ para preservar as instituições brasileiras e restaurar o poder político”, escreveu Ciro. O líder do PDT, três vezes candidato a presidente da República, disse: “O que estamos vendo hoje é exatamente o que eu alertava. Isso não é ter bola de cristal, é conhecer a história brasileira. Se lembram da Satiagraha”?

Anos antes, a operação Satiagraha, com investigações que muito se assemelhavam às da Lava Jato, foi anulada pelo Supremo após a descoberta de escutas e provas ilegais. Para Ciro, “o excesso de aplausos, as gravatinhas borboletas e, até, condenações sem provas objetivas, cobrariam seu preço”.

Veja o comentário de Ciro Gomes:

Durante todo o desenrolar da operação Lava Jato sempre expus o que pensava de forma muito clara: o excesso de aplausos, as gravatinhas borboletas e, até, condenações sem provas objetivas, cobrariam seu preço. Também sempre deixei claro que o Brasil carecia de investigações e punições aos grandes saqueadores da nação. E alertei mais de uma vez: os erros, os desmandos, gerariam de um lado injustiças e, de outro, nulidades que garantiriam liberdade a culpados. Fui ainda mais específico, quando disse que cada um deveria voltar para sua “caixinha” para preservar as instituições brasileiras e restaurar o poder político.

Por toda essa minha leitura, fui atacado por todos os lados, mas nunca deixei de me posicionar e defender o que penso, justamente por saber que um dia a história comprovaria o que vinha dizendo. Muitos vídeos meus estão sendo compartilhados nas redes mostrando isso.

O que estamos vendo hoje é exatamente o que eu alertava. Isso não é ter bola de cristal, é conhecer a história brasileira. Se lembram da Satiagraha?

Antes que as paixões contra ou a favor do ex-presidente Lula – o mais notável atingido pela Lava Jato – venham aqui defender cegamente seus interesses, lembrem-se de Eduardo Cunha, Geddel Vieira Lima, Palocci… todos esses poderão se beneficiar com o que está acontecendo.

Por essa razão, espero que as instituições brasileiras funcionem: Conselho Nacional de Justiça, Conselho Nacional do Ministério Público, STF e Congresso Nacional, devem se debruçar sobre o assunto, investigar e passar o Brasil a limpo.

Leria Mais
Moro rebate no Twitter as acusações de transgressão da lei na Lava Jato
+ Do líder do Novo: “Acuse-os do que você faz, chame-os do que você é”.