Impacto da 99 no PIB da região Nordeste é de R$ 5,74 bilhões nos últimos três anos

Empresa aumenta em 45,7% a sua participação na composição do Produto Interno Bruto dos nove estados da região de 2019 a 2021, segundo estudo realizado pela Fipe


Equipe Focus
focus@focus.jor.br

Um estudo realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) aponta que as atividades da 99 injetaram R$ 5,47 bilhões no PIB da região Nordeste de 2019 a 2021. O levantamento considera o impacto da renda, gastos operacionais e consumo familiar dos motoristas parceiros, que movimentam os negócios em outros setores produtivos da economia brasileira.
O impacto positivo no Produto Interno Bruto regional da 99 na economia de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe e Tocantins aumentou de R$ 1,51 bilhão, em 2019, para R$ 1,75 bilhão em 2020 e R$ 2,20 bilhões no ano passado, um crescimento de 45,7%.
A região Nordeste é a terceira do país valor adicionado ao PIB, ficando atrás das regiões Sudeste, que injetou R$ 28,4 bilhões, e Sul, com R$ 5,95 bilhões. As regiões Centro-Oeste (R$ 3,26 bilhões) e Norte (R$ 2,69 bilhões), vêm em seguida.
Entre os 9 estados do Nordeste, a Bahia teve o maior valor adicionado ao PIB em decorrência das atividades da 99, com um total de R$ 1,38 bilhão de 2019 a 2021. Em seguida aparecem Pernambuco (R$ 1,10 bilhão), Ceará (R$ 773,5 milhões), Alagoas (R$ 448,9 milhões), Maranhão (R$ 406,5 milhões), Sergipe (R$ 378,9 milhões), Paraíba (R$ 324,9 milhões), Piauí (R$ 334,2 milhões) e Rio Grande do Norte (R$ 319,8 milhões).
“A 99 está comprometida em levar soluções em mobilidade de qualidade, segura e inclusiva de norte a sul do país. O crescimento sustentável do impacto financeiro positivo no Nordeste confirma o potencial do motorista parceiro e da 99 como agentes de transformação nas cidades da região”, comenta Diogo Souto Maior.
A empresa completou 10 anos de atuação no país em agosto, foi o primeiro unicórnio do país e hoje conecta cerca de 750 mil motoristas parceiros a 20 milhões de pessoas por meio de serviços de mobilidade, pagamentos e entregas em mais de 1.600 municípios brasileiros.
POSTOS DE TRABALHO

O estudo da Fipe também aponta grande volume de geração indireta de postos de trabalho formal na região Nordeste. De 2019 a 2021, foram 169.760 empregos, 39.382 na Bahia, que teve o maior impacto positivo no setor.
Na comparação ano a ano, também de 2019 a 2021, o impacto indireto da 99 na abertura indireta de postos de trabalho formal em outros setores da região Nordeste aumentou 43,4% no período, passando de 47.392 empregos em 2019, para 67.981, em 2021.
Em todo o país, a atividade da 99 contribuiu para a criação de 1.172.975 postos indiretos de trabalho entre 2012 e 2021. Desse total, 382.589 foram criados no ano passado, ante 331.890, em 2020, e 286.419, em 2019, um aumento de 33,6%.

“A missão da 99 é co-criar soluções em mobilidade e gerar valor para a sociedade. Além disso, focamos também no futuro, por meio do nosso compromisso com a mobilidade sustentável e os veículos elétricos, e nossas metas junto ao Pacto Global da ONU”, conclui Diogo.