Ibope vai às ruas de Fortaleza e divulga pesquisa na próxima quarta-feira, 14

Ao contrário da consulta do Instituto Paraná, que não medirá nem sequer a rejeição dos candidatos, o Ibope fez um questionário bem mais amplo e com abordagem presencial dos eleitores e não por telefone.


Entrevista do Ibope é presencial. A do Instituto Paraná é feita por telefone.

Vem aí a primeira pesquisa do Ibope que vai medir as intenções de voto na disputa pela Prefeitura de Fortaleza. Contratado pela TV Verdes Mares a um custo de R$ 46.343,77, a pesquisa entrevistará 602 eleitores da Capital. O Ibope já está em campo e pegará a influência dos primeiros dias do horário eleitoral gratuito. Os resultados serão divulgados no dia 14 de outubro, quarta-feira próxima.

“A pesquisa quantitativa, que consiste na realização de entrevistas pessoais, com a aplicação de questionário estruturado junto a uma amostra representativa do eleitorado em estudo. O nível de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima estimada considerando um modelo de amostragem aleatório simples, é de 04 (quatro) pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra”, diz o registro do Ibope junto à Justiça Eleitoral.

Na segunda feira, 12, conforme adiantado pelo Focus, o Instituto Paraná divulgará os resultados de sua pesquisa em Fortaleza, que já está em fase de coleta. Com uma diferença importante: trata-se de uma consulta por telefone. A do Ibope é presencial. Ou seja, os pesquisadores vão abordar os eleitores nas ruas.

Ao contrário da consulta do Instituto Paraná, que não medirá nem sequer a rejeição dos candidatos, o Ibope fez um questionário bem mais amplo. Além da intenção de voto, rejeição e o modo como o eleitor se informa, a pesquisa vai medir a popularidade e o modo como os eleitores veem as gestões de Roberto Cláudio, Camilo Santana e Jair Bolsonaro.

Veja o questionário da pesquisa Ibope Fortaleza.

 

 

Fábio Campos

Jornalista graduado pela Universidade Federal do Ceará (UFC), foi repórter de política e articulista do O Povo, o mais tradicional veículo de jornalismo impresso do Ceará, onde editou a Coluna Política por 14 anos (1996-2010) e a Coluna Fábio Campos por sete anos (2010-2017). Também foi editorialista do mesmo veículo entre 2013 e 2017. Concomitantemente às funções no jornal, editou o Anuário do Ceará por 15 anos, modernizando o conteúdo e o projeto gráfico da prestigiada publicação. Apresentou o programa Jogo Político na TV O Povo por 12 anos, ancorou o programa Contraponto na TV Cidade (Record), foi comentarista de política na TV Jangadeiro (SBT) e na rádio O Povo/CBN. Em agosto de 2017 iniciou a startup Focus.jor.