Honda vai encerrar produção do Civic no Brasil em novembro

Sem fôlego para concorrer com o arquirrival Corolla e com os novos SUVs, Honda Civic deixará de ser feito no País e voltará importado em 2022


Nova geração do Civic aparece em 1ª imagem oficial
Novo Civic virá importado em 2022 (Divulgação/Honda)

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

Na última semana, a Honda anunciou que vai concluir em dezembro a transferência da produção de veículos de Sumaré para a nova fábrica de Itirapina, ambas no interior paulista. Mas nem todos os modelos ganharão a nova linha. O sedã médio Civic não irá. Tal como o Jornal do Carro vem noticiando há alguns meses, a marca japonesa vai encerrar a produção local do modelo, após 24 anos.

Segundo o jornal Estadão, a decisão de encerrar a produção local do Civic se deve sobretudo ao sucesso dos SUVs. Em 2021, o sedã vendeu pouco mais de 14 mil unidades entre janeiro e setembro. O arquirrival Toyota Corolla, por exemplo, tem 30,5 mil unidades emplacadas no mesmo período. Mas não é só. A categoria encolheu com o avanço dos SUVs, e atualmente tem só 5% das vendas.

Fornecedores estão avisados
Segundo apuração do site Autos Segredos, a Honda já avisou os fornecedores que vai encerrar a produção do Civic em novembro. Assim, partir de dezembro, a montadora vai unificar a produção de veículos na fábrica de Itirapina (SP), que foi concluída em 2016, mas abriu em 2019, por causa das sucessivas quedas nas vendas de carros no País.

Nova geração do Civic aparece em 1ª imagem oficial
Novo Civic virá importado em 2022 (Divulgação/Honda)

Novo Civic em 2022
O fim do Civic nacional será um marco para a fabricante japonesa. Afinal, o sedã médio é feito no País desde 1997 – ou seja, há 24 anos. Contudo, não será o fim do Civic no Brasil. Em 2022, a Honda lançará a nova geração do modelo, revelada no início deste ano. A expectativa é de que o novo Civic desembarque importado dos Estados Unidos já no 1º semestre.

Dessa forma, é esperado que a nova geração venha mais cara, com um posicionamento de preços superior ao atual, que vai de R$ 121 mil até R$ 165 mil. Essa subida de patamar virá pelas novas tecnologias disponíveis no novo Civic, mas também servirá para distanciar o sedã médio dos compactos da marca, sobretudo das novas gerações do City e do HR-V.