Guedes segue “abalado” após baixas no Ministério da Economia, mas não cogita pular fora do Governo

Segundo o próprio ministro, Salim Mattar e Paulo Uebel estavam "insatisfeitos" e preferiram "debandar" do Governo


Ex-secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados, Salim Mattar. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil.

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

A saída dos secretários dos Salim Mattar, da secretaria especial de Privatizações, e de Paulo Uebel, da secretaria especial de Desburocratização, tirou o sono do ministro Paulo Guedes.

Segundo a Bloomberg, por meio de interlocutores do Governo, a debandada “abalou” o titular da Economia. No entanto, as baixas não resultarão em uma saída de Guedes do Governo Bolsonaro.

Ontem o próprio Guedes admitiu que Mattar e Uebel estavam insatisfeitos. “O Salim hoje me disse que as privatizações não estão andando, ‘prefiro sair’. O Uebel me disse que a reforma administrativa não está sendo enviada, ‘prefiro sair’. Hoje houve uma debandada”, destacou o ministro na noite de ontem.

A saída de Salim Mattar está condicionada ao fato de o programa de privatizações não ter avançado.

Uebel, por outro lado, pulou fora por conta da demora da reforma administrativa que não avançou por decisão de Bolsonaro.